Willian Anderson Lehmkuhl

Foto: Divulgação

Diretor-presidente da SCGÁS

"Com o constante crescimento de nosso mercado industrial é necessário expandir os supridores do insumo, garantindo o fornecimento para os próximos anos."

Willian Anderson Lehmkuhl

O desenvolvimento das indústrias catarinenses e o da SCGÁS sempre caminharam lado a lado. Em 2000 iniciamos nossa distribuição de gás natural canalizado atendendo a Döhler, em Joinville. Em 2021, ano em que a SCGÁS completou 27 anos de fundação, o gás natural está presente em mais de 315 indústrias em Santa Catarina, que representam mais de 50% do PIB deste setor, levando competitividade, segurança operacional e sustentabilidade.

No mês de fevereiro, o mercado industrial consumiu uma média de 1.794.293 metros cúbicos de gás natural, o segundo maior volume do mercado já registrado na história da companhia – recordes de consumo vêm acontecendo nos últimos três exercícios. Com o constante crescimento de nosso mercado industrial, é necessário expandir, cada vez mais, os supridores do insumo, garantindo o fornecimento para os próximos anos e ampliando a competitividade.

Para isso não medimos esforços. Recentemente, lançamos uma nova chamada pública coordenada junto com outras quatro distribuidoras do Centro-Sul do País. Entre 2022 e 2023, o chamamento prevê a contratação de até 3,5 milhões de m³/dia e, a partir de 2024, esse valor pode chegar a 6 milhões de m³/dia no conjunto das distribuidoras. A chamada pública admite também propostas de biometano, opção de insumo renovável.

Esta é a terceira chamada pública que lançamos em menos de dois anos. A chamada pública incremental anterior está em fase de assinatura de contrato e poderá introduzir um novo modal de gás natural no território catarinense via GNL (Gás Natural Liquefeito). Esse modal também pode chegar pela Baía da Babitonga, em São Francisco do Sul.

Essas ações para aquisição de gás natural nos ajudam a diversificar os agentes e fontes dos suprimentos e poderemos seguir nossos projetos de ampliação. Atualmente estamos realizando o maior pacote de obras de nossa história, com investimentos de R$ 410 milhões até 2024 para levar o gás ainda mais longe, com foco na interiorização, para que novas indústrias acessem o insumo.

Ano passado concluímos o primeiro passo de um projeto pioneiro: a rede isolada de Lages iniciou sua operação e atenderá quatro indústrias já contratadas pela companhia. Neste ano realizaremos a segunda fase desse projeto e, com o mesmo modelo, iniciaremos as obras para atender as indústrias papeleiras do Planalto Norte. O Projeto Serra é o carro-chefe da nossa interiorização. Em dez anos investimos cerca de R$ 130 milhões para levar nossa rede a Lages.

Sabemos da importância do gás natural para a produtividade das indústrias catarinenses, e queremos continuar crescendo junto com este mercado. Para isso projetamos atender 15 novas cidades até 2025. Hoje já atendemos 65 municípios.

Com a segurança regulatória do nosso estado, estamos buscando a diversificação de supridores para atender cada vez mais indústrias catarinenses, com uma meta em curso: ser a distribuidora nacional mais eficiente do País, o que cumpriremos com êxito nos próximos cinco anos.

Inscreva-se e receba semanalmente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina