Compartilhar:

Edição de julho da revista da FIESC apresenta o Programa Travessia, que traça a rota para o desenvolvimento sustentável do Estado no pós-pandemia 


Florianópolis, 27.07.2020 – Boa parte das transformações nos negócios, no trabalho e no comportamento das pessoas motivadas pela pandemia do Coronavírus não será revertida após a superação da doença. Já eram tendências que se realizavam lentamente, mas foram aceleradas e consolidadas, exigindo uma verdadeira reinvenção da economia. Diante desse cenário a FIESC elaborou o Programa Travessia, com o objetivo de alinhar Santa Catarina ao curso das transformações para que o Estado possa se tornar, nos próximos anos, referência mundial em desenvolvimento sustentável. Esse é o tema da matéria de capa da revista Indústria & Competitividade nº 22, da FIESC.

::: Acesse a edição completa.

A reportagem contextualiza o problema e aponta as linhas mestras do programa, que é baseado na transformação das empresas, na criação de uma nova infraestrutura, na costura de um pacto institucional que viabilize as mudanças e na atração de capital para o Estado. Dentre os efeitos previstos destaca-se uma maior pulverização da produção industrial mundial, hoje bastante concentrada na Ásia, o que abre novas oportunidades para a indústria de Santa Catarina. Mudanças que já começaram a ocorrer em grandes empresas do Estado também são abordadas.

Ainda no contexto da pandemia, a edição de julho traz uma reportagem sobre transformações pontuais e perenes nas relações de trabalho, e de que maneira as empresas podem lidar com elas. Outro tema abordado é o dos efeitos para a indústria da forte desvalorização do real este ano: o câmbio abre oportunidades para a exportação e para a elevação da produção nacional. A seção Dossiê Infraestrutura da edição é uma reportagem sobre o Complexo Portuário do Itajaí, que recentemente iniciou as operações de sua nova bacia de evolução. Ela permite o atracamento de cargueiros de 350 metros de comprimento e qualifica o porto para receber investimentos privados.

Na entrevista principal da edição, Salim Mattar defende que a redução do tamanho da máquina estatal pode ser uma aliada do País para a superação da crise. Secretário Especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, Mattar é o responsável por conduzir o programa de privatizações do Governo Federal. Já o Secretário de Estado da Fazenda de Santa Catarina, Paulo Eli, que assina o artigo da edição, defende a união dos setores público e privado para atrair investimentos que completem os elos faltantes da indústria catarinense.

A revista traz ainda um perfil do empresário Salézio Martins, fundador da Kyly, indústria de confecções voltada à moda infantil, e uma reportagem sobre um produto típico do Vale do Itajaí, a Linguiça Blumenau, que graças à qualidade e a um bom trabalho de marketing ganhou fama e consumidores em todo o Brasil.


Assessoria de Imprensa
Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco