Para Todd Ensign, em uma sociedade cada vez mais dispersa por tantas tecnologias e informações, a robótica educacional é uma importante ferramenta para estimular o interesse por Ciências, Matemática e outras disciplinas

Clique aqui e confira a cobertura fotográfica completa no Flickr da CNI

Rio de Janeiro, 16.03.2019 - Em uma sociedade cada vez mais 4.0, há grande preocupação de educadores sobre como será a formação dos estudantes para o mundo digital. A tecnologia está presente no dia a dia de todos e, também, na sala de aula. Como fazer o melhor uso dessa nova realidade e formar pessoas que transitem entre os mundos real e o virtual? Os desafios sobre o uso de tecnologia entre os estudantes foram debatidos entre estudantes e especialistas em educação durante o Seminário Educação 360 Jovem Tech, promovido pelo Jornal O Globo em parceria com o SESI e o Colégio PH. O evento integra a agenda do Festival SESI de Robótica que a entidade promove no Rio de Janeiro até este domingo (17). 

A abertura do evento foi feita pelo diretor do Centro de Recurso de Educadores da Unidade de Verificação e Validação Independente da NASA, Todd Ensign. O americano defendeu o uso mais frequente da robótica nos programas educacionais. Segundo ele, que também é professor da Fairmount Station University, a robótica e abordagens educacionais STEM (sigla em inglês para para Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática) devem ser as apostas para a educação porque “nós não sabemos o futuro. Nem a NASA sabe qual será a sua próxima missão”, brincou.

De acordo com Todd, a robótica mantém o interesse dos alunos pela sala de aula em uma sociedade cada vez mais dispersa por tantas tecnologias e informações. “A robótica competitiva captura a imaginação dos alunos”, afirma. “Ao contrário da sala de aula, em que é difícil manter os alunos concentrados, com a robótica, nós temos que tirar os robôs das mãos deles”, comemora.

O representante da NASA salientou a importância da inclusão de novos conteúdos adaptados à sociedade 4.0. Segundo ele, no estado da Virginia, nos Estados Unidos, os alunos terão aula de codificação de computador. O entendimento é que compreender a linguagem de programação é tão importante quanto a língua estrangeira, uma vez que cada dia mais, tarefas cotidianas, como pegar um transporte, estão sendo atualizados por mecanismos de robótica. A cybersegurança também deve ser uma área bastante demandada, na opinião do especialista.

SAIBA MAIS - Acompanhe todos os detalhes no site do Festival de Robótica.

Com informações a Agência CNI de Notícias 

Assessoria de Imprensa
Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina
imprensa@fiesc.com.br | 48 3231 4244

Inscreva-se e receba semanalmente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina