Estudantes da Escola S de Blumenau, Brusque, Criciúma, Concórdia, Florianópolis, Lages e de uma escola pública de Rio do Sul participam do Festival SESI de Robótica, em São Paulo; as equipes que obtiverem o melhor desempenho classificam-se para disputas internacionais

Acesse a cobertura fotográfica completa no Flickr da CNI.

Florianópolis, 28.05.2022 – Soluções para viabilizar entregas quando o destinatário está ausente, chuveiro em cabines de caminhões, sensores de identificação de buracos. Estas são algumas das propostas que estudantes da Escola S de Blumenau, Brusque, Criciúma, Concórdia, Florianópolis, Lages e Rio do Sul apresentaram no Festival SESI de Robótica, em São Paulo. O evento, gratuito para a comunidade, teve início na sexta (27) e segue até este domingo (29), quando serão anunciados os vencedores das competições de robótica. 

Entre os projetos de inovação propostos pelos catarinenses, está o F.O.R.E.V.E.R. (Facilitador Organizacional Responsável por Entregas Eletrônicas), um drone com uma câmera — usada para facilitar o voo e garantir que o produto foi entregue. A ideia, desenvolvida por estudantes de Lages, visa facilitar a entrega de encomendas quando o destinatário está ausente. As mercadorias são embaladas em uma sacola biodegradável.

A logística foi pensada desta forma: quando o entregador chega no destino e não tem ninguém para receber o produto, ele liga para o cliente pedindo autorização para o uso do F.O.R.E.V.E.R. Com a autorização, na frente da casa ele pega o drone, fixa o pacote nele e pilota passando por cima do muro e deixando a encomenda dentro da casa em segurança.

De Criciúma vem o projeto do sistema de identificação de buracos que visa minimizar o atraso de entregas. A pesquisa feita pela equipe destaca um levantamento da Confederação Nacional do Transporte (CNT) que aponta que mais de 78% das estradas no país não são pavimentadas. Dos quase 57 mil quilômetros pesquisados, 54% apresentaram algum tipo de problema no pavimento. Um sistema semelhante já existe em alguns modelos de veículos e a ideia dos estudantes é democratizar o acesso a essa solução.

Estudantes de Concórdia criaram uma proposta para melhorar as condições de higiene para os caminhoneiros que, por vezes, passam dias viajando. O número de profissionais que atuam nas estradas é superior a 2,8 milhões, de acordo com o IBGE. Os jovens estudaram a instalação de chuveiros na própria cabine do caminhão. Com este projeto, inclusive, a equipe se tornou uma das finalistas do Global Innovation Awards (GIA), programa da FLL que destaca, todos os anos, as melhores soluções para problemas do mundo real e que trazem impactos positivos para a sociedade.

A equipe de Blumenau desenvolveu um sistema chamado de Techcaper visando manter o motorista em alerta. Um dispositivo acoplado a um boné identifica movimentos angulares da cabeça e emite um alerta quando uma determinada inclinação da cabeça do motorista indicar que ele está prestes a dormir. O dispositivo foi prototipado utilizando uma placa de arduino nano, sensor giroscópio e buzzers para emissão de som de alerta.

Preocupados com o transporte de alimentos por delivery, os estudantes de Brusque criaram uma solução para o transporte de bebidas. Um dispositivo "equilibra" o copo com líquido, semelhante aos suportes de câmeras fotográficas utilizadas por profissionais, que mantém o copo sempre perpendicular ao solo. O dispositivo foi prototipado na impressora 3D e já foi testado junto a entregadores e lojistas, que aprovaram a ideia, trazendo feedbacks positivos sobre a utilização.

Cinco equipes catarinenses participam das provas da First Lego League (FLL), três da FIRST Tech Challenge (FTC) e outras duas da F1 in Schools. 


Assessoria de Imprensa
Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina - FIESC

Inscreva-se e receba semanalmente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina