Considerada a grande premiação no quesito inovação da robótica educacional, o prêmio destaca projetos de soluções para problemas do mundo real que demonstrem originalidade e tenham potencial de agregar valor significativo ao mundo; equipe de robótica da Escola S em Brusque está entre as classificadas 


Florianópolis, 1º.04.2021 - Estudantes do ensino fundamental da Escola S, integrada por SESI e SENAI, de Brusque, estão entre as equipes de robótica que representarão o Brasil no Global Innovation Awards. Considerada a grande premiação no quesito inovação da robótica educacional, o prêmio destaca projetos de soluções para problemas do mundo real que demonstrem originalidade e tenham potencial de agregar valor. O anúncio das classificadas foi feito nesta quarta, dia 31.

Os estudantes de Brusque foram selecionados pelo projeto de uma esteira desenvolvida para permitir que cadeirantes possam se exercitar durante a pandemia.  O projeto está relacionado ao tema deste ano da FLL, chamado de RePLAY, e será apresentando no desafio que ocorre na próxima sexta e no sábado, dias 9 e 10 de abril. Ele desafia jovens a repensarem espaços para exercícios, competições e brincadeiras com foco na realidade atual e pensando no futuro.

“Decidimos nos especializar nos usuários de cadeiras de rodas, já que eles têm muitas dificuldades neste período de pandemia, pois eles não têm como sair de casa para se exercitar. Então criamos um projeto que tornasse isso possível”, conta o estudante Vinicius Buttchewitz. A esteira possui uma base quadrada e quatro rolamentos, que são ajustáveis para o tamanho da roda da cadeira utilizada e também possui uma rampa para que o usuário consiga subir. “Saber que a gente está podendo ajudar outras pessoas e saber que isso realmente está dando certo, é realmente bom. A gente está muito feliz em estar participando deste torneio”, afirma Henrique Dorow, outro membro da equipe.  

A conclusão veio depois de muitas pesquisas, conversas com especialistas e com cadeirantes, principalmente o time de basquete sobre rodas de Brusque e outros paratletas, que relataram as dificuldades de acessibilidade, inclusive nas academias, que não possuem adaptação para cadeiras de rodas. “Com certeza vai trazer muitos benefícios para as pessoas com deficiência, principalmente para as que usam cadeiras de rodas”, destacou Jorge Parré, medalhista de ouro das Olimpíadas do Rio 2016 e que vai disputar as competições este ano, em Tóquio.

Além do Henrique, a equipe Tecnorob é formada pelos estudantes Vinicius Bueno Lopes, Sofia Rainert Mafra e Vinicius Buttchewitz, juntamente com o técnico Claudio Lima Rhenns e a supervisora, a professora Rosani Pereira Marcarini. 

O resultado do Global Innovation Awards será conhecido entre os dias 28 e 30 de junho, remotamente. Já nos próximos dias 9 e 10 deste mês, a Tecnorob Evolution participa da etapa estadual da First Lego League. 

Com informações da Midia Press Assessoria de Comunicação.

Assessoria de Imprensa
Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

Inscreva-se e receba semanalmente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina