Conselho das Federações Empresariais endossa manifestação do Executivo em resposta aos questionamentos do Ministério Público

Florianópolis, 27.2.2020 – O Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (COFEM) apoia as medidas restritivas previstas nos dois decretos do governo do Estado publicados na última semana e as manifestações do Executivo ao procurador-geral de Justiça, Fernando Comin. Enviado neste sábado (27) ao Ministério Público, que recomendou lockdown de 14 dias, o documento do governo do Estado explica e fundamenta as medidas tomadas, inclusive as restrições intensificadas neste e no próximo final de semana, como forma de combater a propagação do coronavírus.

O COFEM defende a saúde em primeiro lugar e entende que, com a devida observância dos protocolos sanitários, a segurança dos trabalhadores é garantida e que a adoção de um lockdown completo não é a melhor resposta para enfrentar o agravamento da pandemia. Para as entidades empresariais, é fundamental que a população siga os protocolos de segurança, evitando aglomerações, que sejam adotadas medidas para que a população tenha acesso ao tratamento precoce em casos de infecção e que o ritmo da vacinação ganhe velocidade.

O COFEM é composto pelas Federações das Indústrias (FIESC), do Comércio (FECOMÉRCIO), da Agricultura (FAESC), dos Transportes (FETRANCESC), das Associações Empresariais (FACISC), das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL), das Micro e Pequenas Empresas (FAMPESC), além do SEBRAE-SC.

Inscreva-se e receba semanalmente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina