Compartilhar:

Entidade da FIESC ficou entre os 12 finalistas e foi reconhecida na categoria de produtos e serviços

Florianópolis, 17.8.2019 – O projeto Escola de Contraturno Maker, do SESI de Rio do Sul, entidade da FIESC, conquistou o 1º lugar no Prêmio de Inovação da ACIRS. A divulgação ocorreu no sábado (17), durante a Fersul 2019, Feira Multissetorial do Alto Vale do Itajaí, promovida pela Associação Empresarial de Rio do Sul (ACIRS). O SESI ficou entre os 12 finalistas e foi o melhor projeto na categoria Produtos e Serviços.

A Escola de Contraturno Maker foi criada por uma demanda dos pais, conforme explicou a coordenadora de Educação Básica, Aline Leandra Coelho. “Já atendemos do 1º ao 5º ano em horário integral. Em 2018, as famílias solicitaram uma proposta de educação de contraturno para as crianças do 6º ao 9º ano. Então surgiu a ideia da Escola de Contraturno Maker, que atualmente também é aberta para a comunidade”, explicou Aline. As oficinas desenvolvem habilidades dentro de áreas como ciências, arte, matemática, robótica, empreendedorismo e esporte. O aluno é protagonista, pois escolhe o itinerário que irá seguir.

Por ser algo inédito, surgiu a oportunidade de inscrever o projeto no Prêmio de Inovação da ACIRS. “Apresentamos todo o processo de prototipagem, a metodologia e o trabalho para desenvolver competências técnicas e socioemocionais nas crianças”, acrescentou Aline. Foram usadas ferramentas como o mapa de empatia, o canvas, o design thinking, entre outras, para o planejamento, elaboração e acompanhamento do projeto. O processo envolveu a equipe técnica do SESI, as famílias, comunidade e as próprias crianças. “Ficamos muito felizes com o prêmio, pois acreditamos que o projeto faz a diferença na educação e também porque houve um processo colaborativo de construção, que ainda está em andamento. O Contraturno Maker é um piloto na FIESC Alto Vale, está sendo validado, por isso é inovador”, concluiu Aline.

Mariana Malkowski, de 11 anos, frequentava o extracurricular da escola no ano passado. Agora, no 6º ano, sua mãe a matriculou no Contraturno. “Essa oportunidade é importante porque eles estão sempre conhecendo assuntos novos. Ela gosta das atividades de teatro, dos experimentos na cozinha, da robótica e do vôlei. Além disso, tem horário para as tarefas. Eu recomendo, é uma ótima opção para deixar os filhos, pois sabemos que estão aprendendo, em vez de ficarem em casa em frente à televisão ou jogando”, comentou Cleusa Regina Ronchi Malkowski.

“Ver a Escola de Contraturno Maker ganhar foi muito gratificante. É o reconhecimento do esforço de todos os envolvidos. A ideia fez muito sentido desde sua concepção no papel e agora mostrou que estamos no caminho certo, que podemos sim, inovar muito na educação”, ressaltou Kiara, colaboradora do SESI, que participou do processo de construção da Escola de Contraturno.

Com informações da Assessoria de Imprensa Regional

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco