Programa, iniciado em agosto e que prossegue até dezembro, promoverá a capacitação profissional de cerca de 2,1 mil detentos, de seis unidades prisionais de Santa Catarina

Itajaí, 08.11.2021 – Mais de 525 apenados do Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí (CPVI), no bairro Canhanduba, em Itajaí, receberam, na manhã desta segunda-feira, 8, os certificados de conclusão de cursos de costura básica, logística e manutenção de máquinas de costura. A formação foi realizada em parceria entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/SC), entidade da FIESC, e o Governo do Estado, por meio do Departamento de Polícia Penal (DPP). O programa, iniciado em agosto e que prossegue até dezembro, promoverá a capacitação profissional de cerca de 2,1 mil detentos, de seis unidades prisionais de Santa Catarina.

Em Itajaí, durante três meses, 300 detentos fizeram o curso de costura básica, outros 200, o de logística e 25 se capacitaram em manutenção de máquinas de costura. Durante os treinamentos, eles confeccionaram cerca de 1,2 mil peças para o uniforme escolar da rede pública estadual.

A coordenadora de Educação Básica e Profissional do SENAI na Foz do Rio Itajaí, Roseméri Matiola, destacou a importância do investimento em qualificação e enalteceu a oportunidade da instituição em fazer parte da iniciativa. “Quero agradecer a todos que receberam a equipe do SENAI e dizer que ficamos honrados em participar deste projeto. Uma oportunidade, um recomeço, um novo propósito de vida para estas pessoas terem uma profissão e reingressarem novamente no mundo do trabalho”, disse. 

A Superintendente Regional das unidades prisionais do Vale do Itajaí, policial penal Marta Regina Ambrósio destacou a importância da formação. “Oferecer capacitação profissional para os apenados é fundamental para atender as políticas de reabilitação social e econômica do sistema prisional catarinense. O trabalho dá dignidade ao interno, permite que ele receba um salário pelo serviço prestado, cujo recurso financeiro ele pode destinar à família, e tem a remição da pena. A atividade laboral nas unidades prisionais também é uma estratégia de segurança”, observou a policial penal.

A cerimônia de formatura contou com a presença do diretor-geral do Departamento de Polícia Penal (DPP), Vladecir dos Santos, e da Gerente de Trabalho e Renda do DPP, Léa Fernanda Mazaro, representantes do SENAI e alguns apenados, que foram convidados para representar os demais alunos. 

SOBRE A PARCERIA 

O Governo do estado investiu mais de R$ 30 milhões na construção de galpões e na compra do maquinário, sendo destinados quase R$ 1,1 milhão para as atividades de capacitação de 81 turmas, totalizando treinamentos em cursos profissionalizantes na área têxtil, dentro do Programa SAP Têxtil, iniciativa da Secretaria de Administração Prisional e Socioeducativa, que prevê a implantação de fábricas de produtos têxteis em Chapecó, Criciúma, Itajaí, São Cristóvão do Sul e São Miguel do Oeste. Depois de concluído o treinamento, as cinco unidades estarão aptas a fabricar uniformes escolares e, de acordo com a demanda, poderão ser confeccionados lençóis, fronhas e mantas para os hospitais catarinenses.

Quase 5 mil detentos trabalham no sistema prisional catarinense, o que representa cerca de 20% do total. Essa cifra já chegou a 31%, porém houve uma redução por conta da pandemia.

 

Com informações da MidiaPress

 

Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina - FIESC
Gerência Executiva de Comunicação Institucional e Relações Públicas - GECOR

Inscreva-se e receba semanalmente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina