Com a estimativa de R$ 189 milhões em investimentos privados, quatro projetos de ampliação e expansão foram aprovados em outubro. Iniciativa é uma importante ferramenta de estímulo, avalia Alexandre d’Ávila da Cunha, representante da FIESC no conselho deliberativo do programa

Florianópolis, 8.10.2019 – Com a estimativa de R$ 189 milhões em investimentos privados para Santa Catarina, quatro projetos de ampliação e expansão foram aprovados em reunião, no dia 3 de outubro, do Programa de Desenvolvimento da Empresa Catarinense (Prodec), coordenado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE). A expectativa é de fomentar 902 empregos diretos e R$ 8,6 milhões de arrecadação de impostos.

“As empresas devem estar atentas à oportunidade que representa enquadrar novos investimentos no Prodec. O programa é uma importante ferramenta de estímulo, que permite postergar o recolhimento do ICMS e, assim, traz ganhos para o fluxo de caixa das empresas que planejam ampliar a produção ou implantar novos projetos industriais”, afirma o representante da FIESC no conselho deliberativo do Prodec, Alexandre d’Ávila da Cunha.

Só em 2019, o Prodec já contabilizou R$ 3,6 bilhões em investimentos e 8.214 novas vagas. Dessa forma, atingiu o maior valor dos últimos 12 anos em Santa Catarina. Neste ano, a maior concentração de projetos habilitados está na região norte do Estado. Há mais de três décadas, o Programa concede incentivo a projetos de ampliação e expansão que tenham estimativa de gerar emprego e renda com incremento ao uso da tecnologia e inovação, em Santa Catarina.

Investimentos: Com uma projeção de R$ 78 milhões em investimentos privados e a estimativa de 700 novas vagas na região de São Carlos, no Oeste catarinense, a RQ Indústria e Comércio de Confecções teve seu projeto aprovado para expansão da área fabril, com incremento em tecnologia e inovação para soluções ao processo.

Outras duas empresas são do norte catarinense: as Malhas Menegotti, que tem uma previsão de investir de R$ 60 milhões na região de Jaraguá do Sul com um projeto de expansão e modernização do parque fabril, e a Brahen Comércio de Polímeros, em Campo Alegre, que deve investir R$ 41 milhões na construção de uma nova planta e aquisição de máquinas e equipamentos de tecnologia de ponta. As duas vão gerar 169 empregos diretos para a região.

Na cidade de Taió, o projeto habilitado é da ordem de R$ 10 milhões, da empresa Rohden Vidros, que pretende ampliar a capacidade produtiva com a expansão da fábrica que vai movimentar R$ 438 mil em arrecadações.

Com informações da assessoria de imprensa da SDE

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco