Presidente da entidade diz que se trata de uma questão de responsabilidade, relevante para toda a sociedade, pois nas condições atuais estão comprometidos o pagamento futuro dos benefícios e a capacidade de investimentos do estado; manifestação foi feita na quarta-feira (9), durante reunião com o governador do estado e que teve a presença de outras lideranças empresariais

Florianópolis, 10.6.2021 - A reforma da previdência estadual é oportuna, necessária e urgente, analisa o presidente da Federação das Indústrias (FIESC), Mario Cezar de Aguiar. “Mais do que um assunto relativo ao governo e aos servidores públicos, é uma questão de responsabilidade, relevante para toda a sociedade. Se não resolver a questão agora, não haverá recursos para o pagamento futuro dos benefícios aos aposentados e a capacidade de investimento do estado, que já é baixa, será totalmente consumida”, afirma. Segundo o governo do estado, a previdência estadual tem um déficit financeiro total de R$ 4,8 bilhões anuais, considerando servidores civis e militares.

Em reunião nesta quarta-feira (9) com a presença de outras lideranças empresariais do estado, Aguiar cumprimentou o governador pela iniciativa de enviar a proposta de reforma da previdência à Assembleia Legislativa (Alesc). O presidente da FIESC disse que a medida é bem-vinda, pois se a questão não for resolvida agora, o problema vai se agravar. “Por isso, a reforma tem todo o apoio da FIESC”.

O presidente do Instituto de Previdência (Iprev), Marcelo Panosso Mendonça, foi convidado durante o encontro com o governador para  apresentar a situação da previdência estadual aos industriais catarinenses durante a reunião de diretoria da FIESC, no próximo dia 25 de junho.

Inscreva-se e receba semanalmente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina