Confira artigo assinado pelo presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), Mario Cezar de Aguiar, e veiculado no jornal Notícias do Dia deste final de semana (23 e 24 de abril)

 

Produzir, inovar, competir e ganhar mercado exigem a reinvenção. Isso vale tanto para as empresas, quanto para as pessoas, especialmente em tempos como os atuais, em que as transformações sociais são aceleradas e as prioridades redefinidas. Neste contexto, as discussões sobre questões ambientais, sociais e de governança se ampliam, fortalecendo cada vez mais o ESG (Environmental, Social and Governance), que representa o compromisso empresarial com os três temas.

A associação dos três atributos, que até aqui eram tratados isoladamente, é o principal mérito do ESG. Isso é fundamental e toda empresa precisa estar atenta a essa tendência, até porque passará a ser, cada vez mais, uma exigência de mercado, como já percebem, na prática, as empresas que estão no comércio internacional.

Mas é preciso ter clareza de que, em essência, o conceito ESG está ligado à cidadania. Como tenho reiterado em diversas oportunidades, não existe cidadania sem emprego; e não existe emprego sem empresa. Portanto, ESG é um tema que precisa estar no radar de todos, mas deve ser aplicado com equilíbrio: o retorno ao acionista, a capacidade de competir e de manter as empresas ativas, gerando postos de trabalho, não são menos importantes do que os pilares ambiental, social e de governança. São, na verdade, essenciais para as comunidades onde a atividade empresarial está inserida. Por isso, as condições específicas de cada empresa e setor – o cenário de competição em que estão colocados –, influenciarão a velocidade e a forma como o ESG vai virar realidade.

Trata-se, portanto, de uma discussão de extrema importância para o setor industrial, que tem o desafio da perenidade dos negócios, sem os quais, não há desenvolvimento econômico e social. Para chamar a atenção dos  catarinenses para a relevância do tema e conhecer casos de empresas que são referência no assunto, na próxima quinta-feira (28 de abril) realizaremos o evento Radar ESG, a partir das 13h30, na FIESC. Vamos discutir como as empresas podem prosperar e progredir com posicionamentos que acelerem o comprometimento com a sustentabilidade ambiental e a diminuição das desigualdades. Uma responsabilidade com o presente e com as futuras gerações.
 

Inscreva-se e receba semanalmente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina