O Edital de Inovação para a Indústria, iniciativa do SENAI e do SESI, transformou-se. Agora tem mais flexibilidade e novos desafios para ajudar a Brasil a ser mais inovador

Edital de Inovação para a Indústria está de cara nova e mais flexível. Instrumento de fomento a soluções inovadoras que funciona sem interrupção há 16 anos, passou a ser Plataforma Inovação para a Indústria. A partir de agora, as inscrições estarão abertas permanentemente e os desafios podem ser anunciados a qualquer momento. Em seu lançamento, a Plataforma conta com R$ 54 milhões para investir em sete categorias de seleção, que vão ajudar o Brasil a ser mais inovador.

“A nova Plataforma é uma evolução do Edital de Inovação demandada pela indústria, que possui a necessidade de desenvolver soluções ágeis para problemas cada vez mais complexos”, explica o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi. “Será a porta de entrada para que empresas e parceiros se conectem a pesquisadores e à infraestrutura dos Institutos SENAI, em um verdadeiro ambiente de inovação aberta e colaborativa”, completa.

Uma das categorias da Plataforma, iniciativa do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e do Serviço Social da Indústria (SESI), vai fomentar Habitats de Inovação, nos quais os Institutos SENAI de Inovação abrem as portas para empresas, incubadoras de startups, universidades, parques tecnológicos, entre outros. O objetivo é que equipes de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) coabitem os ambientes para ampliar o desenvolvimento de novos projetos e parcerias, permitindo agilizar o processo de inovação. A intenção também é tornar o ambiente de negócios industrial mais atrativo aos talentos acadêmicos.

Projetos de interesse serão definidos com os Institutos SENAI de Inovação

As chamadas que irão selecionar empresas e instituições para os Habitats serão lançadas pelo SENAI de cada estado, com regras próprias, e estarão disponíveis na Plataforma. As indústrias devem definir com os Institutos SENAI de Inovação projetos de interesse mútuo e se comprometer a aportar recursos por prazos determinados.

A rede nacional de 27 Institutos SENAI de Inovação, distribuída em todas as regiões do país, conta com mais de 700 pesquisadores, sendo que cerca de 44% têm mestrado ou doutorado. Possui ainda equipamentos e infraestrutura de vanguarda para o desenvolvimento de produtos e processos inovadores. Atualmente, 15 centros são unidades Embrapii e possuem verba diferenciada para financiamento de projetos estratégicos. Mais de R$ 1 bilhão já foi aplicado em 1.086 projetos concluídos ou em execução.

Categoria Rota 2030 financia projetos da indústria automotiva

A Plataforma Inovação para a Indústria mantém ainda categorias que foram sucesso em edições anteriores, como as financiadas com recursos do Rota 2030, que selecionam projetos destinados à indústria automotiva. Por meio do programa, o governo federal isentou o imposto de importação de autopeças que não são produzidas no Brasil e, em troca, as indústrias depositam 2% do valor importado. As empresas beneficiárias devem escolher então aportar os recursos obrigatórios em um programa prioritário definido pelo governo federal.

O eixo de produtividade gerenciado pelo SENAI é uma jornada rumo à Indústria 4.0. Além do desenvolvimento de projetos apresentados por alianças de empresas da cadeia automotiva, a indústria importadora de peças poderá matricular seus gestores no Master in Business Innovation (MBI) em Indústria 4.0.  Os fornecedores da cadeia automotiva também vão receber consultoria dos Institutos SENAI de Tecnologia para reduzir desperdícios em seu processo produtivo.

Iniciativa já selecionou mais de mil projetos inovadores

Criada em 2004 como Edital SENAI SESI de Inovação, a iniciativa já selecionou mais de mil projetos inovadores, nos quais foram investidos mais de R$ 711 milhões. As propostas escolhidas recebem recursos e apoio para desenvolvimento de uma prova de conceito, passando por processos de validação, de protótipo e de teste na rede de inovação e tecnologia do SENAI. O objetivo é estimular o desenvolvimento de soluções inovadoras para a indústria brasileira, sejam novos produtos, processos ou serviços de caráter inovador, incremental ou radical.

Conheça as categorias da Plataforma Inovação para a Indústria e os prazos* para inscrever projetos:

I. Aliança Industrial: a categoria busca estimular a apresentação de projetos com alto impacto inovativo por grupos de dois ou mais integrantes, que dividem o compromisso em torno de um projeto de P&DI, unindo capacidades e recursos. A Aliança deve ser composta por, no mínimo, duas empresas, um Instituto SENAI de Inovação ou um Instituto SENAI de Tecnologia, que será coordenador do projeto. A duração máxima dos projetos será de até 12 meses.

Prazo de inscrição de projetos: contínuo, a partir de 10 de agosto

II. Habitats de Inovação: os Institutos SENAI de Inovação disponibilizam infraestrutura de ponta e corpo técnico de pesquisa diferenciado para trabalhar conjuntamente com empresas, universidades e comunidades empreendedoras (parques tecnológicos e incubadoras de startups) no desenvolvimento das novas aplicações e soluções tecnológicas para a indústria. Os departamentos do SENAI nos estados vão lançar chamadas para selecionar os interessados em participar dos Habitats. A duração da parceria deverá ser de até 24 meses.

Prazo de inscrição de projetos: de acordo com chamadas regionais do SENAI nos estados

III. Empreendedorismo Industrial: com parceria do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), por meio da categoria, instituições-âncora apresentam chamadas para seleção de empreendedores. Cada projeto recebe investimento mínimo de 250 mil da Plataforma, podendo a grande empresa, a seu critério, empregar quantias superiores. Objetivo é estimular a conexão entre grandes indústrias e startups, micro e pequenas empresas por meio de desafios específicos lançados por empresas consolidadas no mercado.

Prazo de inscrição de projetos: o cronograma será definido nos regulamentos das chamadas técnicas

IV. Rota 2030 - Empreendedorismo Industrial, por meio de Aliança Industrial: o objetivo da categoria é formar alianças de pelo menos três indústrias da cadeia automotiva e um Instituto SENAI de Inovação, que será coordenador e executor do projeto. A distribuição dos recursos será por ordem de chegada dos projetos na etapa de avaliação. A duração máxima de desenvolvimento é de 24 meses e o valor total do projeto é de R$ 1 milhão a R$ 8 milhões. A contrapartida financeira da Plataforma, com recursos do Rota 2030, será de até 57% do montante do projeto.

Prazo de inscrição de projetos: contínuo, a partir de 1º de setembro

V. Rota 2030 - Empreendedorismo Industrial, por meio de Desafios: a categoria busca conectar médias e grandes empresas, assim como investidores a startups, para desenvolvimento conjunto de soluções inovadoras orientadas a desafios industriais da cadeia automotiva. Uma instituição-âncora apresenta desafio a ser solucionado e deve aportar no mínimo 38% por projeto. Cada projeto poderá ser de R$ 400 mil a R$ 600 mil. A contrapartida financeira da Plataforma, com recursos do Rota 2030, será de até 57% do montante do projeto.

Prazo de inscrição de projetos: contínuo, a partir de 1º de setembro

VI. Rota 2030 – Hands on: Aprendendo Fazendo: empresas-candidatas poderão, nesta categoria, submeter projetos de consultorias para aumentar a produtividade. A meta é uma elevação de pelo menos 20% por meio de técnicas de manufatura enxuta e de pelo menos 10% com digitalização. A duração da consultoria em cada empresa será de até seis meses, podendo ser prorrogada pelo mesmo período. Cada atendimento será de até 600 horas e não há contrapartida financeira das empresas selecionadas.

Prazo de inscrição de projetos: contínuo, a partir de 1º de setembro

VII. Inovação em Soluções de Saúde e Segurança em Tempos de COVID-19 (SESI): a categoria vai apoiar e financiar projetos de consultoria, cursos, capacitações, plataformas e tecnologias digitais em saúde, segurança do trabalho (SST) e promoção da saúde (PS) para contribuir no distanciamento social devido à pandemia do novo coronavírus. O SESI fará chamadas técnicas com base em desafios identificados junto às empresas industriais. Os projetos devem ser apresentados por parceria entre indústrias e os Centros de Inovação do SESI. Os projetos devem ter duração de até 12 meses.

Prazo de inscrição de projetos: o cronograma será definido nos regulamentos das chamadas técnicas

Inscreva-se e receba semanalmente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina