Competição ocorre de forma remota de 20 a 22 de outubro; projetos de estudantes do SENAI em São José, Rio do Sul e Brusque destacaram-se em edição estadual do prêmio, cujo desafio foi proposto pela Tupy, empresa que foi parceira da edição estadual de 2021


Florianópolis, 24.9.2021 - Até o dia 13 de outubro, estudantes de todo o país podem se inscrever para participar do Grand Prix SENAI voltado para a inovação na indústria. A competição ocorre de forma remota de 20 a 22 de outubro. Em 72 horas, os participantes devem desenvolver soluções para desafios propostos por empresas parceiras do SENAI.

Pode participar qualquer pessoa que esteja regularmente matriculada em qualquer instituição de ensino pública ou privada, SENAI ou SESI, em cursos de ensino médio ou em cursos técnicos de nível médio, de aprendizagem industrial, de graduação tecnológica, bacharelado e graduandos em geral.

Os estudantes devem constituir equipes com três a cinco participantes de acordo com o grau de escolaridade. As equipes são formadas somente após as inscrições individuais de cada participante. Depois, um dos integrantes cadastra a equipe e escolhe uma das áreas temáticas. São elas: Educação, Tecnologia, Automatização e Indústria 4.0.

As inscrições podem ser feitas na página do Grand Prix Senai de Inovação. Entre as premiações estão R$ 5 mil para os vencedores de cada temática. O valor deverá ser usado para pré-acelerar o projeto em parceria com o SENAI. Os primeiros lugares de cada área temática também vão ganhar créditos para comprar produtos e cursos no banco de recompensas do SENAI. Além disso, as três primeiras equipes, de cada uma das áreas temáticas, receberão medalhas de reconhecimento pela inovação.

::: Santa Catarina tem projetos promissores
Em setembro, inovações voltadas à melhoria de processos produtivos foram apresentadas em Grand Prix realizado pelo SENAI de Santa Catarina, com destaque para ações focadas na indústria 4.0. O desafio foi proposto pela Tupy, parceira na edição. Equipes de São José, Rio do Sul e Brusque se destacaram na competição.  

Os estudantes de São José desenvolveram o Milano 4.0, um sistema com a missão de promover a transformação digital utilizando sensores e painéis intuitivos de fácil adoção. O projeto conta com software Andon interligado aos  processos de produção por meio das ferramentas como Big Data, simuladores e IoT. A solução apresentada foi o sistema Andon digital que, por meio de uma combinação de aplicativos, permite a ação preditiva.

Em Rio do Sul, uma equipe constituída só por mulheres criou uma interface para leitura de máquina (ILM-V) com o objetivo de substituir o sistema Andon. Ela funciona por meio da leitura de um QR Code, presente no crachá dos manutentores responsáveis (e, se autorizado, o profissional pode realizar manutenção do maquinário) e nas máquinas. A aplicação monitora o funcionamento do equipamento, reportando falhas para uma central (que já existe no mercado) e também emitindo alertas, dando acesso e disponibilizando diagramas de funcionamento, manual de montagem e manutenção, além das características elétricas, tudo por meio de realidade aumentada. Agora, a equipe está disposta a participar do evento nacional 

A equipe de Brusque, terceiro lugar na disputa, criou um sistema Andon utilizando recursos de engenharia como sinais luminosos ou sonoros para avisar que há alguma falha na cadeia de produção. O sistema envia em tempo real o problema identificado para um dispositivo da empresa. 
Maikel Trennepohl, interlocutor dos programas de inovação e educação no SESI SENAI, explica que, além de material didático sobre o tema inovação, os 15 estudantes premiados receberão vouchers oferecidos pela Junior Achievement. “Docentes do SESI e SENAI também receberão vouchers para investir em desenvolvimento pessoal na área de formação”, acrescenta.


Assessoria de Imprensa
Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina - FIESC

Inscreva-se e receba semanalmente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina