Pular para o conteúdo principal

Quer receber nosso conteúdo exclusivo? Inscreva-se!

FIESC reúne suas lideranças para reforçar proximidade com os clientes

Entre outros palestrantes, evento trouxe executivos da Tupy e da Duas Rodas para discutir percepção de valor e foco no cliente. Prefeito de Florianópolis falou sobre transformação e inclusão digital

Florianópolis, 26.02.2024 - Profissionais das entidades da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) de todo o estado estiveram nesta segunda-feira (26) na sede da entidade em Florianópolis para participar do Encontro de Lideranças 2024. Aberto aos demais colaboradores para participação online, o encontro debateu as diretrizes para 2024 e contou com a participação de executivos de grandes empresas, palestrantes e do prefeito da capital. 

O presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, destacou a importância dos colaboradores na entrega que a entidade faz à sociedade catarinense. “Esse evento é uma oportunidade para melhorar essa entrega e a percepção de valor que a indústria tem da FIESC. Precisamos gerar cada vez mais valor para as empresas e só vamos conseguir fazer isso conhecendo profundamente nossos clientes, que estão no centro de nossa estratégia”, afirmou.

Em 2024, quatro diretrizes vão nortear a atuação da entidade: a percepção de valor pelas indústrias, o reconhecimento da FIESC como entidade referência, a intensificação do posicionamento digital e ainda a otimização de recursos, para que se possa fazer mais e melhor, com menos.

Foco no cliente

A experiência na ampliação da percepção de valor foi tema do primeiro painel do dia, comandado por Aguiar e com a participação do CEO da Tupy, Fernando de Rizzo, e do CEO da Duas Rodas, Leonardo Zipf. 

Na sua apresentação, o executivo da Tupy destacou que o sucesso da empresa sempre foi pautado pela capacidade de transformar conhecimento em inovação, e que as pessoas estão no centro dessa estratégia. Sem o desenvolvimento das pessoas e sem pesquisa, segundo ele, a Tupy não teria conquistado o espaço que ocupa hoje no mercado mundial. Rizzo salientou a importância estratégica da FIESC e suas entidades na formação de profissionais capacitados e como impulsionadoras de novas tecnologias, por meio dos centros de inovação, bem como no bem estar dos trabalhadores. 

Rizzo destacou, durante o painel, que a Tupy teve que passar por grandes transformações nas últimas décadas. “Tivemos de nos reinventar, e para isso investimos em muita pesquisa. Hoje, desenvolvemos novos produtos em parceria com nossos clientes, conhecendo e atendendo necessidades específicas”, declarou. Segundo ele, mais do que relevante, a Tupy se tornou um parceiro estratégico para os clientes. 

A história da Duas Rodas não foi diferente. Segundo o CEO Leonardo Zipf, o momento da virada da fabricante de aromas e ingredientes para a indústria alimentícia também se deu com a decisão de colocar o cliente como centro do negócio. “Paramos de falar sobre o nosso produto e começamos a entender o produto e as necessidades do nosso cliente e o comportamento do cliente dele. Somos uma empresa que vende para outras empresas, mas percebemos que era essencial conhecer os hábitos do consumidor final para oferecer soluções mais adequadas ao nosso cliente”, explicou.

A estratégia para isso foi apostar em pesquisa e desenvolvimento, num ambiente que espelha a linha de produção dos clientes. “Investimos em pequenas fábricas dos segmentos que atendemos, para testar e desenvolver produtos. Também investimos pesado em inteligência artificial, que usa bancos de dados, estudos e pesquisas para nos ajudar a lançar novos produtos”, destacou. 

Com isso, a Duas Rodas - assim como a Tupy -, passou a ser um parceiro estratégico para a indústria de alimentos. E como a inovação não pode parar, a empresa está ampliando seu negócio para um modelo que traz componentes de prestação de serviços para os clientes, por meio de consultoria baseada nos seus sistemas de IA.

Transformação digital 

Convidado para falar sobre transformação e inclusão digital, o prefeito de Florianópolis, Topázio Silveira Neto, inseriu o tema explicando que perguntou ao Chat GPT o que ele deveria falar sobre o assunto. O uso da inteligência artificial como recurso para elaborar a apresentação foi uma maneira de mostrar que não se pode mais fugir da digitalização. Topázio trouxe os desafios do setor público e do privado na transformação digital, destacando as particularidades de cada segmento e os momentos em que esses diferentes desafios se sobrepõem ou convergem.

O prefeito da capital usou sua experiência pessoal no uso das tecnologias e redes sociais para destacar a importância do tema na gestão, seja de uma cidade ou de uma empresa. Topázio é conhecido pela sua atuação descontraída nas mídias sociais, onde presta contas, divulga projetos e informa a população sobre o que está acontecendo na cidade em vídeos. “Usamos Inteligência artificial para produzir um vídeo em que eu convido turistas para visitarem a cidade em espanhol. Meu espanhol não é nem de perto tão bom, mas o trade turístico gostou da iniciativa, e tivemos bons resultados na temporada”, brincou.

Fez questão de destacar, no entanto, que a cidade usa tecnologias não só para se comunicar, mas também para prestar melhores serviços. Entre eles, Topázio destacou o Alô Saúde, os investimentos que Florianópolis tem feito para digitalizar e ampliar o acesso aos serviços oferecidos pela prefeitura e também o uso de dados e indicadores para identificar pontos de melhoria nesses serviços. 

No período da tarde, os colaboradores puderam acompanhar painéis e palestras sobre temas relacionados às diretrizes de 2024. Entre os convidados estiveram Gustavo Leal, diretor geral do SENAI nacional; Rafael Lucchesi, diretor de desenvolvimento industrial e economia da CNI e diretor superintendente do SESI; o especialista em educação disruptiva e inovação Igor Drudi. Além disso, foram apresentados os resultados de 2023 e debatidos os direcionadores estratégicos para 2024.

Notícias relacionadas

Indústria News

Inscreva-se e receba diariamente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina.
Confira edições anteriores.