Conforme análise do Observatório FIESC, o resultado representou um crescimento de 9,4% na comparação com março, na série livre de efeitos sazonais.

Clique aqui e confira o boletim completo

Florianópolis, 27.5.2022 - A balança comercial de Santa Catarina segue registrando recordes de exportações e importações este ano. Em abril, pela primeira vez na série histórica iniciada em 1997, as exportações catarinenses alcançaram valor superior a US$ 1 bilhão. Conforme análise do Observatório FIESC, o resultado representou um crescimento de 9,4% na comparação com março, na série livre de efeitos sazonais. Em comparação com abril de 2021, a expansão foi de 13,8%.

“O desempenho no comércio exterior neste começo de ano reflete a competitividade das empresas catarinenses no mercado global. A indústria é o motor do desenvolvimento de Santa Catarina e os resultados traduzem isso “, afirma o presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar.

No acumulado dos quatro primeiros meses do ano, o crescimento das exportações catarinenses é de 27,3% em relação ao mesmo período do ano passado, totalizando US$ 3,6 bilhões de vendas para o exterior. Esse valor representou o maior montante exportado nos primeiros quatro meses do ano de toda a série histórica.

Conforme a economista do Observatório FIESC, Mariana Correia Guedes, na análise dos primeiros quatro meses do ano, Santa Catarina vem expandindo suas relações internacionais com grupos econômicos globais em relação ao mesmo período de 2021. “Na Europa, o destaque foi o aumento expressivo nas vendas de produtos químicos e plásticos. Importante destacar que o estado intensificou o fornecimento de produtos de plástico para a Lituânia, país impactado pelo conflito Rússia-Ucrânia e que sinalizou seu interesse em entrar para a Otan”, destaca.

Entre os principais produtos de exportação catarinense, o destaque foi o crescimento nas vendas internacionais de motores elétricos, que passou a ser o terceiro produto mais exportado pelo estado nos primeiros quatro meses do ano, atingindo US$ 210,9 milhões em vendas. “Com alto grau de sofisticação tecnológica, o incentivo na produção de motores elétricos propicia um ambiente de maior inovação e tecnologia, além de ser fonte de empregos qualificados”, avalia Mariana. A Alemanha vem sendo o principal comprador do produto no período, junto com os Estados Unidos. Mas também houve aumento significativo nas vendas para o Canadá e outros países da Europa, como a Itália, Reino Unido e a Espanha.

Importações também têm recorde

Em abril as importações catarinenses somaram US$ 2,1 bilhões, o que representou um crescimento de 5,2% em relação ao mês de março, na série sem os efeitos sazonais. Já na análise interanual, houve expansão de 13,4%. Esse também foi o maior volume de importações para um mês de abril desde o início da série histórica em 1997. Nos primeiros quatro meses do ano, o estado importou um montante total de mais de US$ 8,8 bilhões.

O saldo na balança comercial catarinense registrou déficit de US$ 1,1 bilhão em abril. Fruto do maior recebimento de insumos utilizados na indústria de transformação, os déficits no comércio internacional catarinense são historicamente recorrentes.

Inscreva-se e receba semanalmente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina