Jean Novak vai representar o Brasil no mundial de profissões, na Rússia, entre 22 e 27 de agosto, em Segurança Cibernética; ele conta que começou a fazer um curso técnico em busca de qualificação, mas nem imaginava que viajaria para fora do país para competir

Florianópolis, 8.8.2019 – Impedir ataques cibernéticos de hackers. Esse é o desafio que move e empolga o jovem Jean Novak, 22 anos, que vai representar o Brasil na WorldSkills, na Rússia, na ocupação Segurança Cibernética. Ele e mais oito catarinenses integram a delegação brasileira que embarca no próximo dia 18 de agosto para o torneio.

:::: Acompanhe a cobertura no Facebook, Twitter e LinkedIN da FIESC e nas redes sociais do SENAI. 

Filho único de mestre de obras e dona de casa, Jean conta que os pais sempre o incentivaram muito a estudar e a trabalhar. Primeiro, ele cursou aprendizagem industrial de Manutenção de Computadores no SENAI em Tijucas, onde ele nasceu e morou até pouco tempo atrás. “Gostei muito do curso, fiz muitos amigos e o professores me disseram: faz o técnico em Redes de Computadores. E lá fui eu”, conta o competidor.

Durante os dois anos de curso, Jean teve uma rotina pesada, dividida em três turnos: escola, ensino técnico e estágio. Mas valeu a pena, Jean logo chamou atenção dos professores e passou a ser cada vez mais incentivado a dar o seu melhor. “Se hoje eu estou aqui treinando para ir pra Rússia competir, é graças aos excelentes professores que tive no SENAI Tijucas”, afirma.

Jean participou de duas olimpíadas do conhecimento. Bronze na primeira, prata na segunda. Na sequência, ele foi cursar nível superior, tecnólogo em redes de computadores, agora, no SENAI Curitiba. “Graças a minha experiência nas olimpíadas do conhecimento, fui convidado para trabalhar numa empresa, não estava mais pensando na competição”, conta Jean. Mas, um daqueles professores que lá atrás tanto o incentivaram voltou a aparecer.

Jean conta que ficou empolgado, mas já não tinha a mesma disponibilidade e tempo de antes para treinar, ainda mais, numa modalidade nova que exigia outros conhecimentos além dos que ele já tinha em redes. Mesmo assim, lá foi ele. “Foi muito legal voltar a treinar podendo levar comigo um pouco da experiência de mercado de trabalho”, conta ele.

Inédita na WorldSkills, a ocupação de Jean exige dos competidores conhecimentos para deixar a rede mais segura, impedindo ataques, uma parte forense, na qual eles precisam identificar ataques e as fragilidades que permitiram isso, além de formas de se prevenir ataques. Ele terá ao seu lado outra estudante catarinense, Raissa Marcon.

Confiante e empolgado, quando voltar da Rússia, Jean pretende retomar seu curso no SENAI Curitiba, além de retomar sua vaga na empresa de tecnologia onde trabalha, que o liberou para participar da competição.

SC na WorldSkills - Allan Scholze (São Bento do Sul, em Fresagem CNC), Eduardo Hermann (Blumenau, em Gestão de Sistemas de Redes TI), Gabriele Raiser (Blumenau, em Vitrinismo), Gabriel Hoffmann (Palhoça, em Manutenção de Aeronaves), Gabriel Ribeiro (Blumenau, em Soluções de Software para Negócios) e a dupla Raissa Marcon e Jean Carlos Novak (Florianópolis, em Cyber Segurança) compõem a maior delegação que o SENAI/SC já enviou ao evento. Além deles, duas estudantes do SENAC integrarão o time: Isadora Berti Guedes Pereira (Tubarão) competirá em Estética e Bem-estar e Jéssica Cristina de Campos (Rio do Sul), em Floricultura.

Com informações da Agência CNI de Notícias. 

 


Assessoria de Imprensa
Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina
imprensa@fiesc.com.br | 48 3231 4244
 

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco