A pesquisa foi iniciada curso de engenharia mecânica da Faculdade SENAI

Joinville, 28.9.2021 - A estudante de Joinville Rafaela Momm Silvano está em Illinois Institute of Technology (IIT), Estados Unidos, para participar de uma pesquisa voltada para a aplicação de grafeno em novas tecnologias, como drones, que foi seu primeiro projeto integrador no SENAI. Ela conta que fez sete semestres do curso de Engenharia Mecânica do SENAI e se deu conta que gostaria de seguir fazendo pesquisa. Em conversa com os professores apresentou seu projeto e a ideia de segui-lo no IIT, uma faculdade de tecnologia voltada à pesquisa acadêmica.

Rafaela já conhecia o IIT e os artigos e publicações acadêmicas da instituição. “Ainda mais quando comecei a desenvolver meu projeto. Percebi que a instituição tem profissionais já estudando sobre o mesmo material que pretendo trabalhar”, comenta Rafaela, que no ano passado, teve a oportunidade de visitar pessoalmente a universidade. Durante a visita apresentou o projeto. “Os professores se mostraram interessados em participar e me ajudar acadêmica e financeiramente para desenvolvê-lo. Quando enviei meu currículo para a admissão, levou apenas dois dias para sair o resultado da bolsa máxima”, comemora Rafaela que está desde agosto em terras norte-americanas. Além da bolsa máxima para alunos internacionais por mérito escolar, a estudante também ganhou moradia enquanto estiver estudando lá.

O sucesso na aprovação do projeto e da bolsa de estudo não surpreendeu o professor Daniel de Aviz, coordenador de Educação Profissional do SENAI, já que conhecia o desempenho e o comprometimento da estudante com as atividades desde o ensino médio e curso técnico de mecânica. “A Rafaela sempre participou dos projetos do curso de engenharia mecânica do SENAI. Um deles foi o desenvolvimento do kart elétrico em 2017, carro que participou e ganhou em diversas competições”, cita Daniel, lembrando da participação da aluna na construção de um drone e da construção de uma máquina de manufatura aditiva.

A história de Rafaela sinaliza que vale a pena correr atrás dos sonhos. “O sucesso só vem antes de trabalho no dicionário. Cada pessoa precisa se esforçar muito para conseguir chegar a seus objetivos. Esse caminho a Rafaela fez bem e agora está colhendo os frutos. Tenho certeza que ela vai voltar para o Brasil com uma experiência totalmente diferente”, garante de Aviz.

A adaptação está sendo mais tranquila do que Rafaela esperava. A principal dificuldade foi adaptar as unidades de medida. “Mas como já tenho o que é preciso, é só o tempo de adaptação e conversão, para linkar de qual assunto estão se referindo. Quanto a moradia, estou em um dormitório com vários outros estudantes de várias nacionalidades. O que faz a troca de experiências ser ainda mais rica e divertida” destaca a estudante joinvilense.

No total são quatro anos de curso na instituição americana, mas como Rafaela conseguiu aproveitar os créditos do curso do SENAI, deverá concluí-lo em dois semestres, até maio de 2022. A estudante tem claro quais são suas metas. “Eu pretendo ingressar no meio acadêmico, direcionar para um mestrado, no fim da graduação e, futuramente um doutorado. Quero trabalhar diretamente com desenvolvimento de pesquisas na área de tecnologia dos materiais e criar um projeto ‘ponte’ para poder conectar estudantes do Brasil com projetos daqui do IIT”, projeta Rafaela.

 

Com informações da Logos Conexão e Conteúdo


Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina - FIESC
Gerência Executiva de Comunicação Institucional e Relações Públicas - GECOR

 

 

Inscreva-se e receba semanalmente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina