Doutor em educação de adultos e coordenador da Cátedra da UNESCO em Educação de Jovens e Adultos, Timothy Ireland participou de seminários promovidos pelas Câmaras regionais do Movimento SC pela Educação em Chapecó e São Miguel do Oeste

Florianópolis, 28.11.2019 – Os desafios para a educação de jovens e adultos (EJA) foram temas de seminários promovidos pelas Câmaras Regionais do Movimento Santa Catarina pela Educação em Chapecó e São Miguel do Oeste esta semana (26 e 27 de novembro). Timothy Denis Ireland, doutor em educação de adultos e professor da Universidade Federal da Paraíba, destacou os desafios globais da atualidade e a instantaneidade da melhora na qualificação do estudante. 

Em Chapecó, Ireland falou sobre o desafio das novas tecnologias, com a robotização e a inteligência artificial. “Desde 1990 a Organização das Nações Unidas (ONU) e outras instituições criam agendas globais para a educação e para o desenvolvimento. É preciso desenvolver estratégias para enfrentar os desafios que aparecem. Ao pensar na EJA para os próximos anos, há de se ter em mente sempre a perspectiva de mudanças. Precisamos educar para o futuro e não somente para o presente”, enfatizou o especialista que também coordena a Cátedra da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) em Educação de Jovens e Adultos. 

Ireland explicou que o aprendizado e a educação de adultos incluem múltiplas oportunidades de aprendizagem, entre elas alfabetização e habilidades básicas, a formação contínua e o desenvolvimento profissional. Os objetivos da EJA destacados pelo professor são equipar as pessoas com as capacidades necessárias para que possam ser autônomas; promover o desenvolvimento pessoal e profissional, apoiando, assim, o envolvimento mais ativo dos adultos com suas sociedades, comunidades e ambientes; promover o crescimento econômico sustentável e inclusivo e perspectivas de trabalho decente para os indivíduos. “São, portanto, ferramentas cruciais para reduzir a pobreza, melhorar a saúde e o bem-estar e contribuir para sociedades de aprendizagem sustentáveis”, salientou.

“O seminário visa o fortalecimento do ecossistema da EJA e a sensibilização dos empresários para a importância da educação básica. Acreditamos que por meio dessas ações possamos, em conjunto, promover a ampliação da escolaridade do trabalhador, contribuindo para a melhoria da competitividade”, disse o vice-presidente da FIESC da Regional Oeste, Waldemar Antônio Schmitz.

Em São Miguel do Oeste, Ireland afirmou que o investimento na educação de jovens e adultos tem retorno rápido, uma vez que os estudantes já estão inseridos no mundo do trabalho. “O que eles aprendem em sala de aula já conseguem aplicar no dia seguinte em casa ou no trabalho. As mudanças são imediatas”, disse. Para o vice-presidente regional da FIESC, Astor Kist, uma educação de qualidade será capaz de produzir resultados mais efetivos e cidadãos preparados. 

O seminário foi realizado em parceria com a Secretaria de Estado da Educação, Secretaria Municipal de Educação, Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (FECOMÉRCIO), Federação das Empresas de Transporte de Carga do Estado de Santa Catarina (FETRANCESC), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (FAESC/SENAR) e Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc).

Assessoria de Imprensa
Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina
imprensa@fiesc.com.br | 48 3231 4244
 

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco