Pular para o conteúdo principal

Quer receber nosso conteúdo exclusivo? Inscreva-se!

Domínio de tecnologias de satélites é essencial para soberania, defesa e segurança do país 

Pesquisadores dos Institutos SENAI de Inovação em Sistemas Embarcados (de Florianópolis) e de Eletroquímica (de Curitiba-PR) apresentaram projetos, incluindo nanossatélites, em desenvolvimento na instituição e que podem ter aplicação no setor de defesa

Florianópolis, 17.05.2024 - O domínio das tecnologias de satélites é uma forma de assegurar a soberania e a segurança nacional, analisa o pesquisador Elço João dos Santos Júnior, do Instituto SENAI de Inovação em Sistemas Embarcados. Nesta sexta, 17, durante a SC Expo Defense 2024, na Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), ele apresentou os programas de nanossatélites em desenvolvimento no instituto em que atua.

::: Clique aqui para ver a cobertura fotográfica da Expo Defense

Um dos projetos é a Constelação Catarina, que está com dois satélites em desenvolvimento, um no Instituto SENAI e outro na Universidade Federal de Santa Catarina. A Constelação Catarina prevê a construção de 13 satélites de pequeno porte, com dimensões, em centímetros, de 10 x 20 x 30. A proposta original é levantar dados que possam antever ocorrências climáticas.

Além disso, os satélites podem atuar em outras frentes, como o apoio ao desenvolvimento agrícola, programas de logística, além de alertas ambientais e situações de risco e vulnerabilidade.

Projetos do SENAI do Paraná

O pesquisador Lucas Lima, do Instituto  SENAI de Inovação em Eletroquímica, do Paraná, apresentou projetos em desenvolvimento em sua unidade e que também podem ter aplicação no setor de defesa. Ele citou exemplos como baterias para mobilidade elétrica, detecção de entorpecentes, detecção de doenças, sensoriamento de cargas, detecção de resíduos de balística, rastreabilidade de explosivos, dessensibilização de explosivos, entre outros.

Desafios tecnológicos de defesa

O pódio de defesa teve ainda a apresentação do General de Divisão Armando Morado Ferreira, chefe de ensino, pesquisa, desenvolvimento e inovação do departamento de ciência e tecnologia do Exército, que falou sobre os principais desafios tecnológicos de defesa. 

Entre eles estão tecnologias quânticas como sensoriamento, comunicações, computação e segurança digital pós-quântica; além de tecnologias de inteligência artificial como a próxima geração de arquiteturas de IA, além de sistemas de IA de memória dinâmica.

 

Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina - FIESC
Gerência Executiva de Comunicação Institucional e Relações Públicas - GECOR

Notícias relacionadas

Indústria News

Inscreva-se e receba diariamente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina.
Confira edições anteriores.