Na reunião mensal, foram apresentadas histórias de empreendedorismo e de dedicação paterna à educação do filho

Clique aqui e veja a cobertura fotográfica completa.

Florianópolis, 24.10.2014 - A diretoria da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) conheceu a história do empresário Claudimar Bortolin, que, aos 19 anos, em 1992, chegou em São Miguel do Oeste de carona na caçamba de um caminhão e hoje é o proprietário de uma indústria especializada em equipamentos frigoríficos que já montou plantas na Argentina, Venezuela, Sudão e nos Emirados Árabes. Ele relatou sua história na reunião de diretoria da FIESC, realizada nesta sexta-feira (24), em Florianópolis.

O proprietário da Torfresma destacou que tudo começou com o curso de tornearia no SENAI, falou do início da empresa, do primeiro produto de sucesso (uma cadeira ergonômica em aço inoxidável, aprovada pela NR 17 e pelo Serviço de Inspeção Federal-SIF), da montagem da primeira grande planta fabril, dos reflexos da crise de 2008 e da retomada. Também disse que foi desafiado a produzir robôs de paletização, a mais recente novidade da empresa. Bertolin emocionou-se e à plateia ao anunciar que teria que se ausentar da reunião por causa de dois compromissos em sua cidade no final da tarde: a reunião com um cliente e a aula no SESI, onde, por meio da Educação de Jovens e Adultos, está concluindo o ensino médio. Clique aqui para assistir à reportagem da TV Indústria Santa Catarina sobre Claudimar Bortolin.

Outro relato que emocionou a diretoria da FIESC foi o de Mauri Busarello, acompanhado do filho Jonathan Busarello, aluno do SESI Escola de Timbó. O pai falou da experiência de acompanhar o filho, que tem paralisia cerebral. Nas aulas, Mauri auxilia o filho, que tem 21 anos, com a escrita e a leitura. Conheça mais sobre eles na reportagem da TV Indústria SC clicando aqui.

Pastoral da Criança: na reunião, o médico Nelson Arns, filho de Zilda Arns, falou do Museu da Vida, iniciativa da Pastoral da Criança que está sendo montada em Curitiba e abrirá ao público no dia 5 de dezembro. O ambiente reunirá um acervo de materiais relacionados à promoção da saúde, nutrição, educação e cidadania. O museu também sediará o memorial Dr. Zilda, ambiente dedicado à história da fundadora da Pastoral da Criança. Médica pediatra e sanitarista, ela era conhecida pelo seu trabalho de ajuda humanitária. No dia 10 de janeiro próximo será realizada uma celebração em homenagem à Zilda, que há cinco anos morreu durante um terremoto que atingiu o Haiti. A cerimônia será realizada no Estádio Arena da Baixada Clube Atlético Paranaense, em Curitiba, às 19 horas. Para esta data está programada a entrega oficial da moção que solicita a abertura do processo de beatificação dela.

Defesa brasileira: o consultor Mark de Matos Júnior, que presta serviços a fornecedores do setor aeronáutico, informou que nos próximos 20 a 25 anos o Brasil abrirá oportunidades de exportações da ordem de U$ 100 bilhões, decorrentes de créditos de offset (concedidos por empresas e países exportadores de tecnologias militares). A maior parte desse volume será para equipamentos de defesa, mas uma parcela de 20% a 25% em produtos eminentemente civis. A prática de crédito offset é permitida pela Organização Mundial do Comércio (OMC) apenas para o setor militar e concede aos países importadores o direito de retornar o mesmo valor em outros produtos ou tecnologias. O volume estimado por Mark de Matos Júnior decorre do plano brasileiro de investir em torno de U$ 120 bilhões em equipamentos de defesa nas próximas décadas, elevando a participação do setor no PIB dos atuais 1,4% para 2%.

Ainda durante a reunião, a juíza Sônia Moroso Terres apresentou o projeto Justiça Direito de Todos, iniciativa que busca um milhão e meio de assinaturas para propor projeto de lei, de iniciativa popular, que visa amparar as vítimas de crimes e seus familiares. A FIESC apoia o projeto. Mais informações no site www.justicadireitodetodos.com.br.

Representantes da Associação das Organizações de Microcrédito e Microfinanças de Santa Catarina (rede Amcred-SC) fizeram um panorama do setor no Estado, que neste ano completa 15 anos de atuação. Nesse período, as 18 organizações que compõem a rede já emprestaram R$ 1,5 bilhão, realizaram 545,8 mil operações e têm 56 mil clientes ativos.

Os empresários presentes também conheceram a Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), responsável pela associação institucional da cadeia produtiva de árvores plantadas. Lançada em abril de 2014, a entidade representa empresas e entidades que trabalham com produtos originários do cultivo de árvores plantadas, com destaque para painéis de madeira, pisos laminados, celulose, papel, florestas energéticas e biomassa, além dos produtores independentes de árvores plantadas e investidores institucionais. O Brasil é o quarto maior produtor mundial de celulose e o nono em produção de papel.

SC em Dados: A FIESC também lançou o Santa Catarina em Dados 2014, publicação que reúne as principais estatísticas relativas à economia do Estado. O documento destaca ainda que a indústria de transformação do Estado liderou a criação de empregos no ano passado, com a abertura de 20 mil novas vagas. Santa Catarina também possui a segunda menor taxa de analfabetismo do Brasil. Nesta edição, o livro traz informações sobre o número de estabelecimentos de educação e de saúde por municípios. O SC em Dados está disponível nas versões impressa e digital, em formato PDF. 

 

Assessoria de imprensa da FIESC
imprensa@fiescnet.com.br
48 3231-4670 | 8421-4080

 


Inscreva-se e receba semanalmente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina