Federações empresariais que representam o PIB catarinense atuarão em conjunto na busca de soluções para os gargalos logísticos que tiram a competitividade catarinense

Florianópolis, 9.9.2019– As entidades integrantes do Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (COFEM) definiram na manhã desta segunda-feira (dia 9) que irão atuar em conjunto na defesa de investimentos na melhoria da infraestrutura do estado. Além da FIESC, integram o COFEM as federações do comércio (Fecomércio), da agricultura (FAESC), dos transportes (Fetrancesc), das associações empresariais (FACISC), das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL) e das micro e pequenas empresas (Fampesc). As instituições pretendem trabalhar de maneira articulada com o Fórum Parlamentar Catarinense, ampliando a representatividade das demandas por investimentos, considerados indispensáveis para garantir a competitividade do estado.

Uma das primeiras manifestações conjuntas será feita na defesa do uso de fundos setoriais, como os da Marinha Mercante e do setor aéreo, para infraestrutura, considerando a restrição orçamentária do governo federal para investimentos. Conforme o Ministério da Infraestrutura, o total de recursos previstos para o próximo ano para todo o país é de apenas R$ 6 bilhões.

O COFEM vai avaliar cada um dos gargalos que estão limitando os investimentos e atuar pontualmente. No caso, por exemplo, do Morro dos Cavalos, a questão indígena está inviabilizando investimentos como o túnel necessário para a conclusão da duplicação do trecho Sul da BR-101 e os projetos das Ferrovias Leste – Oeste e Litorânea. Neste caso, os presidentes das federações planejam tratar do assunto com o Ministério da Justiça, responsável pela FUNAI. Os investimentos de R$ 2,6 bilhões propostos para um conjunto de obras necessárias para melhorar a trafegabilidade do trecho Norte  da BR-101 vai ser discutido com o Tribunal de Contas da União, já que envolve o contrato de concessão.

 

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco