Encontro virtual, realizado nesta quinta-feira, dia 18, teve a participação do diretor-executivo da Associação Nacional de Certificação Digital (ANCD), Egon Schaden Júnior

Florianópolis, 18.11.2021 - A Câmara de Tecnologia, Informação e Comunicação da FIESC debateu o uso da certificação digital na simplificação dos processos das empresas. O encontro virtual, realizado nesta quinta-feira, dia 18, teve a participação do diretor-executivo da Associação Nacional de Certificação Digital (ANCD), Egon Schaden Júnior. Ele apresentou o Certificado Digital ICP-Brasil. “Temos bastante assuntos no campo do uso da criptografia e das assinaturas eletrônicas para desburocratização e simplificação de processos nas empresas e também no serviço público”, afirmou.  

Em sua apresentação, Egon destacou que cerca de 80% dos empresários brasileiros possuem assinatura eletrônica qualificada pela ICP-Brasil. Isso elimina carimbos e o uso dos serviços de cartórios, por exemplo. A certificação também se aplica a outras áreas, como balanças, medidores de energia, radares de velocidade e taxímetros.  

O presidente da Câmara, Alexandre D'Ávila da Cunha, observou que o país precisa de avanços na legislação para permitir que documentos físicos que hoje as empresas precisam guardar por até 30 anos possam ser digitalizados e armazenados com segurança, a exemplo daqueles ligados à área trabalhista. “Precisamos dar mais agilidade para nossas empresas no âmbito administrativo”, disse. 

O gerente jurídico da FIESC, André Luiz de Carvalho Cordeiro, destacou que a certificação digital dá maior segurança para os processos porque garante que os documentos foram verificados pelos representantes legais.
 

Inscreva-se e receba semanalmente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina