Pular para o conteúdo principal

Quer receber nosso conteúdo exclusivo? Inscreva-se!

Museu interativo do SESI estreia versão pocket e itinerante em SC

Dez instalações interativas estarão disponíveis para o público catarinense de 10 a 14 de novembro, de forma gratuita; edição também contará com oficinas, cursos para professores, entre outras atrações

Veja a cobertura fotográfica completa no Flickr da FIESC. 

Joinville, 11.11.2023 - Prestes a completar um ano de inauguração em prédio tombado assinado por Oscar Niemeyer, em Brasília, o SESI Lab vai rodar o país. A primeira parada do projeto itinerante do museu 100% interativo é na nova Escola SESI de Referência em Joinville, durante o Torneio SESI de Robótica, que segue com programação nos dias 13 e 14 de novembro. E tudo com entrada gratuita.

O SESI Lab Itinerante foi desenvolvido com o objetivo de levar a experiência do museu em formato pocket para o entorno do DF e outros estados do país. O formato é composto por uma exposição autoportante e de fácil adaptação a diferentes espaços, com 10 aparatos interativos da exposição de longa duração do SESI Lab e uma programação de oficinas maker criadas pelo Educativo do museu. 

O formato itinerante prevê paradas de cinco a sete dias em cada ponto, com capacidade de atendimento de até 2,5 mil pessoas na área de oficinas e uma previsão de receber até 5 mil pessoas na área expositiva. 

Com o objetivo de oferecer uma experiência interativa e lúdica, nos moldes do que é feito no museu em Brasília, estarão disponíveis para público catarinense instalações interativas com mais sucesso de público: 

Banco musical: O aparato da galeria Aprender Fazendo é uma maneira de explorar a eletricidade e como certos materiais, como corpos humanos, conduzem a corrente elétrica. Os visitantes podem se sentar sozinhos ou com quantas pessoas caberem no banco. Quando o circuito elétrico é fechado por uma pessoa colocando uma mão em cada braço, ou várias pessoas de mãos dadas, o alto-falante debaixo do banco começará a tocar música. Composto de madeira, metal e banco de acrílico.

Jogo de cooperação: O aparato da galeria Imaginando Futuros consiste no topo da mesa com quatro postes de suporte para estimular cooperação e comunicação. O aparato é feito de aço, madeira e poliacetal. Os visitantes devem trabalhar juntos para mover os pinos de um buraco no mapa para outro. Quatro pinos são colocados no tabuleiro de jogo. De dois a quatro visitantes devem puxar as cordas presas a um ímã de guindaste para mover os pinos para um novo destino.  

Bancadas de circuitos “Faça funcionar”: Da coleção da galeria Aprender Fazendo, o aparato explora circuitos elétricos e o fluxo de corrente elétrica. Os visitantes podem construir diferentes circuitos usando elementos básicos como interruptores, luzes, resistores variáveis e motores enquanto observam os efeitos de adicionar ou remover elementos e religar. É possível combinar circuitos para diferentes resultados.

Mesa instável: No aparato integrante da galeria Fenômenos do Mundo, os visitantes são desafiados a construir uma estrutura de blocos em uma plataforma que possa se inclinar livremente. Os visitantes podem mover um peso para ajudar a contrabalançar os blocos. É formado por uma mesa principal, equilibrando peças de madeira. 

Mordida sonora: O aparato da Fenômenos do Mundo permite que os visitantes ouçam ondas sonoras enquanto mordem uma haste de metal coberta por um canudo e tapam as orelhas. A haste é conectada a um transdutor de áudio escondido no aparato. As ondas sonoras viajam através da haste, e depois através de seus dentes e ossos até suas orelhas. Os sons naturais do Cerrado estão em loop em um repetidor de áudio. O áudio é produzido pelo artista brasileiro Eufrasio Prates.

Sombras coloridas: O aparato da Fenômenos do Mundo revela as cores que compõem a luz branca. Quando os visitantes ficam entre as fontes de luz e a parede, eles bloqueiam a luz e criam sombras que mudam as combinações de cores. Uma pessoa perto da parede pode criar sombras coloridas de azul, vermelho, verde, ciano, magenta, amarelo ou preto e branco.

Tubos de vento: Composto por dois tubos cilíndricos em madeira, aço e acrílico, com um dispositivo mecânico do tipo ventilador na base, responsável por circular o ar dentro do tubo. O aparato da galeria Aprender Fazendo oferece aos visitantes a oportunidade de explorar o fluxo de fluido, resistência ao ar e densidade, usando materiais reciclados. 

Engenhocas de bolinhas: O aparato da Aprender Fazendo estimula a criação a partir de engenhocas com materiais familiares, como tubos de vinil e funis. Os visitantes podem criar um circuito e soltar uma bolinha de gude rolando através de tubos, trilhos e para-choques, e com uma captura no final. É utilizado um conjunto de materiais que podem ser usados de formas variadas.

Dança do robô: O aparato do acervo da Aprender Fazendo é um grande praxinoscópio (um dispositivo de animação) onde um círculo interno de espelhos reflete uma sequência de imagens que criam uma animação quadro a quadro quando o dispositivo é girado. Quando um visitante gira a plataforma, a imagem nos espelhos mostra os robôs dançando enquanto suas poses mudam quadro a quadro.

Obra interativa do artista Edu Salzane: Intitulada como “Poiesis”, a obra inédita estreante na 1ª edição do SESI Lab Itinerante traz a experimentação do movimento mecânico na construção de breves narrativas poéticas. No trabalho, além do uso de madeiras, o artista incluiu peças em alumínio usinadas em torno mecânico, um resgate às memórias como trabalhador dessas máquinas cheias de possibilidades. Características presentes na galeria Aprender Fazendo. 

Interatividade com muito aprendizado

Em todos os dias do Torneio SESI de Robótica, a versão pocket do SESI Lab oferecerá cinco oficinas interativas, reconhecidas como as mais procuradas pelo público do museu. A participação é gratuita, por ordem de chegada, com capacidade para 40 pessoas por horário. As sessões ocorrerão sempre às 9h, às 10h, às 11h, às 14h, às 15h, às 16h e às 17h de cada dia de evento.

Sobre o SESI Lab

O SESI Lab é um museu interativo instalado em Brasília, de iniciativa do Serviço Social da Indústria (SESI) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). Inspirado no Exploratorium, um dos principais centros interativos do mundo localizado na Califórnia (EUA), o SESI Lab está alicerçado na atuação em conexão com cultura, educação e ciência. Inaugurado em novembro de 2022, o espaço possui programação multidisciplinar orientada por abordagem educativa criativa, inovadora e acessível a diferentes públicos e já recebeu mais de 225 mil visitantes desde a sua abertura. 

Na programação multidisciplinar, orientada por uma abordagem educativa criativa e inovadora, inclui exposições temporárias e permanentes, festivais, seminários, workshops, oficinas, residências artísticas, cinema, além de atividades orientadas à cultura maker. 

O SESI Lab está no coração da capital do país, em um edifício icônico de Oscar Niemeyer, com quase 7,5 mil metros quadrados. O museu devolve à sociedade uma obra tombada como um bem cultural, inteiramente restaurada. A localização está diretamente relacionada com o propósito de ser um hub de difusão democrática de conhecimento para todas as regiões do país. 

Com informações da Agência CNI de Notícias.

Assessoria de Imprensa
Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina - FIESC

Indústria News

Inscreva-se e receba diariamente por e-mail as atualizações da indústria de Santa Catarina.
Confira edições anteriores.