FIESC lança projeto que incentiva o voluntariado na área de educação

Iniciativa foi apresentada nesta quinta-feira (10) em reunião do Conselho de Governança do Movimento A Indústria pela Educação. Iniciativa pretende mobilizar 1,6 mil catarinenses em 2016
Imprimir
  • Reunião avaliou evolução do Movimento A Indústria pela Educação ao longo de 2015. Foto: Heraldo Carnieri
  • Diretor de Educação e Tecnologia da CNI, Rafael Lucchesi. Foto: Heraldo Carnieri
  • Diretor-executivo do Movimento A Indústria pela Educação, Antônio Carradore. Foto: Heraldo Carnieri

Confira a cobertura fotográfica completa no Flickr da FIESC.

Florianópolis, 10.12.2015 – O voluntariado é uma prática ainda pouco difundida no Brasil. Segundo o Instituto Datafolha, apenas um em cada dez brasileiros com 16 anos ou mais exerce algum tipo de atividade voluntária e 72% nunca participaram de ações nesse sentido. Um projeto da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) quer ampliar essa participação. Chamada de Eu Voluntário: deixando o meu legado, a ação pretende mobilizar 1,6 mil catarinenses a atuar de forma voluntária pela melhoria da educação do Estado. A iniciativa é promovida por meio do Movimento A Indústria pela Educação e foi anunciada nesta quinta-feira (10) durante reunião do Conselho de Governança do grupo. 

Para o presidente da FIESC, Glauco José Côrte, o voluntariado deve ser estimulado, sobretudo na área educacional. “É uma forma de atrairmos mais pessoas para uma causa que é essencial para o desenvolvimento do País. Nós temos que disseminar e difundir o conceito do voluntariado. Todos os países que trabalham esse conceito mostram que são mais desenvolvidos. Queremos esse engajamento porque isso vai ajudar cidades e Estados a ter um desenvolvimento mais sustentável”, avalia o presidente.

O projeto terá apoio dos vice-presidentes regionais da Federação. Para participar, os voluntários se inscrevem no site da entidade e apontam em quais áreas gostariam de atuar, além da disponibilidade para a atividade voluntária. Em janeiro, a plataforma disponibilizará também um banco de demandas que podem ser indicadas por participantes do projeto. Até o final de 2016, o projeto deve realizar mais de 200 ações em todo o Estado. 

Durante o encontro, o diretor-executivo do Movimento, Antônio Carradore, fez um balanço das ações promovidas em 2015. Ele destacou a implantação das 16 Câmaras Regionais de Educação; a campanha Pais pela Educação que atingiu mais de 500 mil pessoas; os workshops realizados com o apoio da ABRH-SC, com a participação de 595 profissionais de 209 empresas; e as parcerias firmadas este ano com Google for Education, Fecomércio, MindLab, Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-SC), Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho e Secretaria de Estado da Educação. Ele também falou sobre os programas Novos Caminhos, que já atendeu mais de 1,1 mil jovens abrigados; SESI Ciências, com 12 unidades móveis e a participação de mais de 4,5 mil alunos de escolas parceiras do Movimento; e SESI Matemática que possui oito salas pedagógicas em Santa Catarina. 

Outro destaque do ano foi o programa Conexão Jovem, do qual participam 32 jovens embaixadores que já realizaram mais de 200 ações em todo o Estado. Daniela Fernandes, de Capivari de Baixo, e Luys Henrique de Souza, de Tubarão, participaram da reunião e contaram sobre suas experiências com o programa no Sul do Estado. O grupo também participa do projeto Escolas parceiras: educação que faz sentido, que visa à criação de escolas-referências. Ao todo, 34 unidades escolares públicas integram a ação. “É incrível você encontrar um grupo de pessoas dispostas a receber ajudar, a colaborar conosco e formar uma parceria onde só há ganhos. Para mim é emocionante poder retribuir a escola onde concluí o ensino médio”, contou Luys Henrique. “Vamos colher os frutos disso. Acreditamos na causa porque a educação é um meio pelo o nosso país vai vivenciar de fato a ordem e o progresso”, completou Daniela.

O diretor de educação e tecnologia da CNI, Rafael Lucchesi, que passa a integrar o conselho de governança do Movimento, afirmou durante a reunião que a iniciativa catarinense é histórica, transformadora e exitosa. “É emocionante ver o nível de atores sociais, empresários, professores, alunos, gestores públicos em torno do tema educação. Esse movimento nasceu com a indústria e já aglutina outras representações a essa ação”, ressaltou. “As ações desenvolvidas ao longo desse percurso sintetizam duas questões: que a construção do Brasil passa pela agenda da educação, assim como a competitividade. Cada líder empresarial é, antes de tudo, um líder social. É um mobilizador”, acrescentou Lucchesi. 

Os conselheiros receberam um resumo executivo de pesquisas educacionais, entre elas, a realizada com indústrias signatárias do Movimento, que aponta a intenção delas de ampliar a oferta de ações (83,5%), especialmente em cursos técnicos (76,5%), nos próximos cinco anos. O estudo ouviu 115 indústrias, que respondem por 54,8 mil empregos. Saiba mais.  

Além de Lucchesi, foram integrados ao conselho de governança o presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt; o diretor regional do SENAC/SC, Rudney Raulino; o diretor regional do SESC/SC, Roberto Anastácio Martins; e o secretário municipal de educação de Florianópolis, Rodolfo Pinto da Luz. Atualmente, o Movimento possui mais de 2,2 mil signatários, representando 345 mil trabalhadores. 

Elida Hack Ruivo
48 3231 4244
48 9176 2505
elida.ruivo@fiesc.com.br