Referência no uso de tecnologias educacionais, o SENAI Tubarão se tornou, nesta quinta, a primeira escola de SC e do Sistema S no País a receber a certificação

Tubarão, 1º.3.2018 – A primeira escola de Santa Catarina e do Sistema S no País certificada como referência pelo Google é a unidade do SENAI em Tubarão. Desde 2016, a escola, que integra a Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), desenvolve projeto que visa estimular práticas modernas de aprendizagem e tornar a sala de aula mais atrativa. A solenidade de certificação foi realizada nesta quinta-feira (1º) com a participação de lideranças da FIESC e SENAI, Google e Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Clique aqui para acessar a cobertura fotográfica do evento.

Por meio do projeto, vários recursos do Google for Education são oferecidos aos alunos e professores. Além das tradicionais ferramentas disponíveis aos demais usuários (agenda, drive, planilhas, apresentações, entre outros), a plataforma oferece aplicativo voltado à gestão da sala de aula, o Google Classroom. Com ele, é possível criar turmas, registrar frequência, distribuir tarefas e enviar feedbacks aos alunos. Por meio da parceria do Google for Education com o Movimento Santa Catarina pela Educação, mais de 330 docentes foram capacitados para utilizar as ferramentas em todo o Estado.

O presidente da Federação das Indústrias, Glauco José Côrte, salientou que a conquista atesta a qualidade da educação desenvolvida pelas entidades da FIESC e a boa utilização das novas aplicações tecnológicas. O empresário lembrou que, na primeira etapa, foram atingidos cerca de 30 mil alunos em todo o Estado. “O SENAI de Tubarão se destacou por ter conseguido o melhor desempenho”, observou.  

“Tudo começou com a aproximação do Google e da FIESC por meio do Movimento SC pela Educação. Essa escola mostrou um grande interesse de levar a plataforma de suites for education, os chromebooks, para tornar a sala de aula mais atrativa. Os alunos já não têm mais paciência de frequentar a sala de aula como nós frequentamos”, afirmou o executivo da Google, Alexandre Campos. 

O estudante Josias Rodrigues De Faria, 19 anos, aluno do curso técnico de rede de computadores, destacou que os recursos do Google for Education permitem o agendamento das tarefas, realização de trabalhos em equipe, formulação e realização de provas. “Com as ferramentas da Google e o aprendizado a gente tem melhor aproveitamento”. Observou que em outras escolas que frequentou os professores tinham restrições ao uso do celular, até para pesquisar. “Aqui os professores apoiam que se pesquise na internet; mesmo durante a aula, a gente pesquisa rapidinho e acrescenta alguma coisa ao que o professor falou, contribui com a aula e gera um conhecimento maior. Fica mais atrativo e dá mais vontade de ir atrás do conhecimento”, afirmou.

Marília Nascimento, professora de Física, disse que a adoção dos novos recursos representou grande mudança dentro da sala de aula. “Facilitou muito passar atividades aos alunos; abolimos o papel, nossas listas exercícios são todas on-line, estamos descobrindo cada vez mais coisas para trabalhar em sala de aula”, afirmou. A docente ressaltou que inicialmente houve um temor de que os alunos não soubessem o momento certo de usar o celular. “Tem sido muito positivo. Os alunos têm utilizado somente no momento correto para resolver exercícios, para olhar vídeos quando necessário”.

“O aluno está numa aula de Geografia ou História e consegue visitar a Muralha da China utilizando o smartphone. Assim, ele começa a entender melhor o conteúdo”, disse o diretor regional do SENAI/SC, Jefferson de Oliveira Gomes. “Além da descoberta de novos assuntos, com a plataforma o aluno aprende a gestão da educação e a gestão de seu tempo. Ele consegue passar a informação e o professor recebe naquele momento específico, criando uma relação de compromisso entre as partes”, destacou. 

O secretário de Estado da Educação, Eduardo Deschamps, destacou que o grande desafio dos gestores educacionais é evitar que a escola se torne obsoleta. “Esse é um risco potencial muito grande”, afirmou. Ele destacou que o modelo escolar atual, caracterizado especialmente pela disposição de alunos em carteiras enfileiradas, com um professor que seja o detentor do conhecimento naquele espaço, surgiu no século 19 e focava a massificação da educação. “Esse modelo não atende mais as demandas que a gente tem; agora precisamos trabalhar uma educação que não é mais de massa, que não é mais de linha de produção – aliás a indústria está abandonando este tipo de trabalho”, afirmou. A receita, segundo ele, é “uma educação mais individualizada, identificando em cada estudante necessidades, competências, pontos fortes e pontos fracos para que ele possa se inserir na sociedade do século 21, independentemente da profissão que venha adotar”. Para isso, o secretário defendeu uma mudança radical na organização escolar, com a introdução de novas tecnologias.

“O Google for Education proporciona aos docentes ferramentas tecnológicas para extrapolar o ambiente educacional, fazendo com que os estudantes tenham a sala de aula e tudo aquilo que ela representa, em qualquer lugar e horário, bastando ter acesso à internet”, afirmou o vice-presidente regional da FIESC, Michel Miguel.

Selo de referência Google for Education

O selo Escola de Referência Google é uma certificação criada pelo Google for Education, plataforma de serviços de educação do Google, para reconhecer as organizações de ensino que utilizam com excelência as ferramentas Google for Education e Chromebooks, desenvolvendo projetos inovadores e impactantes para educadores e alunos.

As organizações que recebem o selo passam por um processo rigoroso para assegurar que a plataforma Google for Education está sendo utilizada de forma eficiente por educadores e alunos. As Escolas de Referência Google, como contrapartida ao recebimento do selo, devem estar sempre abertas para a visita de gestores e mantenedores de outras instituições de ensino para que possam conhecer o trabalho realizado com as ferramentas G Suite for Education e Chromebooks.

Assessoria de Imprensa
Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina