Iniciativa é da FIESC e conta com 77 representantes de indústrias de seis Estados

Florianópolis, 6.7.2018 – A FIESC realiza, de 8 a 13 de julho, missão empresarial à Expo Paraguai 2018, que ocorre na cidade de Mariano Roque Alonso. A comitiva terá a participação de 77 representantes de indústrias de seis estados e será liderada pelo vice-presidente regional da entidade, Márcio Luís Dalla Lana. A iniciativa é promovida em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e Apex-Brasil e tem o objetivo de fomentar negócios voltados ao incremento da participação de empresas brasileiras no comércio internacional, identificar e prospectar parceiros comerciais e tecnológicos e analisar a concorrência no mercado internacional. 

A Expo Paraguai é a maior feira do setor produtivo paraguaio, com foco nos segmentos têxtil, alimentos, bebidas, metalmecânico, papel e celulose, plásticos e madeira. Na edição do ano passado, a feira contou com 600 mil visitantes e 1,6 mil expositores.

Ainda durante a missão, estão programados, em Assunção, seminário de oportunidades de negócios, parcerias e investimentos entre Brasil e Paraguai, com a participação do secretário da Embaixada do Brasil em Assunção, Mario Almeida, reunião no Ministério da Indústria e Comércio do Paraguai e visitas técnicas à Schadek Automotive, fabricante de bombas de óleo para o mercado de reposição, e à Mazzei, indústria fabricante de snacks, biscoitos salgados e doces.

As exportações catarinenses ao Paraguai totalizaram US$ 259 milhões em 2017. Os principais produtos embarcados foram cerâmica de revestimentos, refrigeradores e congeladores, adubos fertilizantes e transformadores elétricos. As importações catarinenses do país vizinho somaram US$ 132 milhões no mesmo período. Os principais produtos comprados foram embalagem de plástico, milho, mantas, roupas (casacos, vestidos, saias, calças e bermudas) e óleo de soja.  

Nos últimos dez anos, o Paraguai registrou crescimento médio do PIB de 4,8% e a inflação dos últimos cinco anos não passou de 5%. Os setores agropecuário e florestal constituem o principal motor da economia do país, correspondendo em média a 20% do PIB nos últimos cinco anos.

 

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco