Fiesc 70 anos 70 anos FIESC

Gestão 1986 - 1992

Milton Fett

"O presidente da descentralização"

Milton Fett

biografia

Empresário do setor madeireiro, Milton Fett liderava sindicatos patronais desde os anos 50. Na década de 60, foi diretor-tesoureiro da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina e representou o estado catarinense no Conselho Fiscal da Confederação Nacional da Indústria. Ocupou o cargo de primeiro vice-presidente ao longo dos 15 anos da gestão de Bernardo Werner. Em 1986, elegeu-se presidente da Federação na eleição mais apertada da história da entidade, vencendo Otair Becker, da oposição, por apenas um voto de diferença.

Na eleição seguinte, foi reconduzido ao cargo de forma praticamente unânime, terminando o mandato em 1992. Participou ainda do Conselho de Representantes da CNI – Confederação Nacional da Indústria. Faleceu em 2002, aos 80 anos.

realizações

A FIESC moderniza sua administração

Um dos grandes legados de Milton Fett foi a modernização da administração da FIESC. Isso incluiu a ampliação de setores, como o Jurídico, e a criação de novos departamentos para ajudar a indústria a enfrentar os desafios que se avistavam no horizonte. Assim, foram instituídos um Setor Econômico e Estatístico para avaliar a situação da economia e as oportunidades de negócios, bem como uma Assessoria para Assuntos Florestais e do Meio Ambiente, assunto cada vez mais recorrente no mundo empresarial.

As câmaras setoriais

Uma das principais características da gestão de Fett foi a interiorização e descentralização administrativa. Para isso, criou comissões especiais e setoriais permanentes em áreas-chave para a indústria, como energia, política industrial e sindical. Essas comissões são a origem das atuais Câmaras Setoriais.

Muda o perfil exportador

Acompanhando o movimento da indústria, a FIESC se mobilizou para estimular uma transformação do perfil das exportações, procurando um maior valor agregado. Para tanto, a entidade implantou um Departamento Econômico e de Comércio Exterior, com ênfase no Mercosul. O salto foi grande: no início dos anos 70, as exportações catarinenses correspondiam a menos de 2% do total nacional, com 25% de produtos industrializados. No final dos anos 80, passou a 6%, com 70% de produtos industrializados.

O maior complexo esportivo da América Latina

Em Blumenau, a FIESC construiu o Complexo Esportivo do SESI/SC, com 378 mil m2, na época, o maior da sua categoria na América Latina. Trabalhadores e comunidade passaram a usufruir de quadras, campos de futebol, piscinas, canchas de bocha, pistas de bolão, academias e auditórios.

Projetos SESI Móvel é lançado

Além da expansão física, o SESI/SC lança em 86 o serviço de Unidades Móveis Odontológicas. Ao todo, 29 unidades começam a circular pelo estado.

Supermercados e farmácia do SESI

A rede de abastecimento de gêneros alimentícios atingiu a marca de 3 milhões de pessoas atendidas pelo serviço, em 1980. A rede de supermercados do SESI ampliou sua atuação com 5 novos estabelecimentos. E, em 1988, as farmácias do SESI contabilizavam 46 unidades, pelas quais foram atendidas mais de 2 milhões de pessoas.

Plano de Previdência pioneiro

Em 1987, a FIESC lança, de forma pioneira no país, a Sociedade de Previdência Complementar do Sistema FIESC (PREVISC), que nasceu da necessidade de equiparar rendimentos entre ativos e inativos das entidades do sistema. Hoje, a PREVISC administra planos de previdência de outras organizações.

1986-1992

Meados dos anos 80 e início dos anos 90 - a busca por um mundo mais democrático

Parafraseando JK, foram 5 anos que valeram por 50. No mundo, o movimento pelas liberdades democráticas tem seu símbolo de sucesso na Queda do Muro de Berlim. E o seu oposto, no protesto da Praça Celestial, quando manifestantes chineses foram reprimidos pelo Exército de Libertação Popular.

A cultura popular ganhou ícones nas figuras de Michael Jackson e Madonna e um novo meio: o vídeo clipe.

A preocupação com a AIDS, descoberta no início dos anos 80, cresceu exponencialmente. A identificação do buraco na camada de ozônio pode ser considerada uma questão crucial e que ampliou o debate sobre a ecologia.

O Brasil vive seu novo período democrático. A nova Constituição é promulgada em 1988 e a eleição direta para Presidência da República ocorreu em 1989, 29 anos depois do último pleito em que brasileiros escolheram diretamente seu presidente.

Os governos José Sarney (1985-1989) e Fernando Collor de Melo (1989-1992) são marcados pelas dificuldades econômicas, com planos e ministros da economia se alternando sem sucesso. O plano mais polêmico foi implantado pelo presidente Collor, que confiscou a poupança e congelou preços. O plano fracassou. Collor foi renunciou quando sofria um processo de impeachment, o final de 1992. Seu substituto foi o vice, Itamar Franco.

Na televisão, Xuxa é o maior fenômeno. Na cultura, surgiu uma nova geração de músicos no Rock in Rio, que colocam o rock brasileiro nas paradas. No começo de 1990, a internet começa a sua trajetória fulminante. No esporte, o Brasil vai mal nas Copas do Mundo, mas conquistou grandes títulos na Fórmula 1, vivendo o seu apogeu.

Em Santa Catarina, as exportações ganharam fôlego. O Estado saltou da oitava para a quinta posição o ranking das exportações brasileiras. O Mercosul se tornou a grande promessa de progresso para toda a região.