Setor empresarial apoia comissão de comércio e indústria na ALESC e projeto contra roubo de cargas

Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (COFEM) também vai propor postergação do prazo para recolhimento de ICMS nos locais atingidos pelas cheias deste ano
Imprimir
  • Presidentes das entidades que representam todos os setores econômicos do Estado se reuniram na manhã desta segunda-feira (12) (foto: Filipe Scotti)

Confira a cobertura fotográfica completa no Flickr da FIESC.

Florianópolis,  12.6.2017 – O  Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina, integrado pelas entidades que representam todos os setores da economia estadual, reuniu-se nesta segunda-feira (12) em Florianópolis e decidiu apoiar dois projetos que tramitam na Assembleia Legislativa: o que propõe a criação da comissão permanente de comércio e indústria na Assembleia Legislativa (ALESC) e o que procura inibir o roubo de cargas. O setor empresarial também decidiu propor, em conjunto, que o governo do Estado postergue o prazo para recolhimento do ICMS de empresas instaladas em locais atingidos pelas cheias. Outro assunto avaliado na reunião foi a necessidade de avançar nas reformas estruturais, apesar do cenário político atual.

O encontro contou com a participação do deputado Nilso Berlanda, que propôs a criação da comissão permanente de comércio e indústria na ALESC. A Assembleia tem 16 comissões específicas, mas não uma para tratar destes dois setores, que geram 2,2 milhões de empregos, lembrou Berlanda, informando que os sete parlamentares participantes terão a função de promover a constante interlocução entre estes setores e o Parlamento. A moção de apoio ao projeto foi aprovada pelos presidentes do COFEM.

As entidades empresariais também farão manifestação formal à ALESC defendendo a aprovação do projeto que propõe o cancelamento da inscrição estadual das empresas receptadoras de cargas roubadas, como alternativa para desestimular a prática. Conforme informações da Federação dos Transportes de Santa Catarina (Fetrancesc), o Estado registra mais de um roubo de carga a cada dois dias, com destaque para produtos como carnes, bebidas, cerveja, cobre e itens da linha branca. O projeto é de autoria do deputado Patrício Destro e tem como relator o deputado Darci de Matos.

A situação das localidade afetadas pelas cheias deste ano em Santa Catarina também foi avaliada. O COFEM vai enviar manifestação ao governo do Estado defendendo que as empresas instaladas nestas regiões tenham postergado o prazo para recolhimento do ICMS, de modo que, no curto prazo, possam concentrar esforços no enfrentamento da situação.

As entidades empresariais ainda destacaram a necessidade de avançar nas reformas estruturais em debate no Congresso Nacional, apesar do cenário político atual. Ficou decidido que as entidades manifestarão apoio aos parlamentares favoráveis às reformas e que o tema será discutido em reunião com a bancada catarinense em data a ser marcada ainda.

O COFEM é integrado pelas federações empresariais da indústria (FIESC), comércio (FECOMÉRCIO), Agricultura (FAESC), Transportes (Fetrancesc), das Associações Empresariais (FACISC), das CDLs (FCDL) e das micro e pequenas empresas (Fampesc).

Assessoria de Imprensa
Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina