No ano em que completa 30 anos, SESI de Lages revitaliza unidade

Além da solenidade de entrega das instalações, agenda da FIESC na Serra nestas quinta e sexta-feiras incluiu debate sobre gestão empresarial e encontro com prefeitos sobre educação
Imprimir
  • Estrutura tem previsão de realizar cerca de 17,5 mil atendimentos mensais (foto: Sandro Scheuermann)
  • Encontro com prefeitos da AMURES (foto: Sandro Scheuermann)
  • Painel com empresários encerrou o encontro na ACIL (foto: Sandro Scheuermann)

Lages, 07.07.2017 – O SESI, entidade da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), entregou nesta sexta-feira (07), em Lages, a revitalização da Unidade de Operações Sociais para atender os trabalhadores da indústria. A instalação, que conta com mais de 5 mil metros quadrados e recebeu investimento de R$ 5 milhões, realizará mensalmente cerca de 17,5 mil atendimentos a trabalhadores de indústrias da região com serviços nas áreas de educação, saúde e segurança do trabalho e promoção da qualidade de vida.

A unidade conta com ginásio de esportes, campos de grama e de futebol suíço – com grama sintética e iluminação noturna, salão social, academia de ginástica, salas de aula, consultório odontológico e médico para atendimentos em saúde e segurança no trabalho (SST), além de estacionamento.

Pessoas felizes, saudáveis e capacitadas para saúde e segurança são mais proativas e criativas, disse o presidente da FIESC, Glauco José Côrte, ao falar do escopo dos serviços que são prestados na unidade de Lages e que incluem também iniciativas inovadoras na área educacional. “No SESI temos verdadeira obsessão pela saúde do trabalhador, pois o trabalho é fator de cura”, afirmou. “Quem tem emprego, tem orgulho de ser trabalhador e é feliz. Por isso, é tão importante o esforço para que a economia volte a crescer, pois o que dá verdadeiramente cidadania é a carteira de trabalho, não o título de eleitor”, completou Côrte. Ele voltou a defender que a saúde e a segurança dos trabalhadores deve ser preocupação da cúpula das empresas. “É fator estratégico. É bom para empresa, para o trabalhador, para todos”, resumiu.

Ao falar da conjuntura, o presidente da FIESC fez um apelo aos empresários para que não se deixem contagiar pela sucessão de crises por que passa o Brasil. “Vamos recolher delas a energia para transformar o País, para que seja a pátria que queremos para nossos filhos. Isso depende das pessoas de bem”, defendeu. “Não podemos tirar das crianças e jovens a capacidade de sonhar”, afirmou, acrescentando que é necessário criar as condições para que esses sonhos se realizem, sendo educação e saúde – focos de atuação da FIESC, fatores fundamentais para isso.

A presença do SESI em Lages, inclusive desde antes da atual unidade, que neste ano completa 30 anos, foi lembrada pelo vice-presidente regional Israel Marcon, que fez referência à inauguração, no dia 8 de outubro de 1987. “Esta unidade revitalizada leva o nome do industrial Cândido Maria Bampi, em justa homenagem”, destacou, valorizando a trajetória do empresário do setor madeireiro. “Esta unidade vai proporcionar ambiente positivo e adequado às atividade de lazer, educação, saúde e segurança no trabalho”, acrescentou.

Melhorar a vida das pessoas é o propósito do SESI, disse o superintendente da instituição, Fabrizio Machado Pereira, destacando que o desafio é contribuir para o desenvolvimento socioeconômico e a competitividade da indústria da região. Entre as vertentes de atuação da instituição, ele destacou questões como a melhoria da escolaridade dos trabalhadores, o desenvolvimento de lideranças, a agenda de saúde e segurança, além da promoção de hábitos saudáveis. “Ainda temos estatísticas desfavoráveis de afastamentos por acidentes e doença. Precisamos investir em prevenção, acompanhar os indicadores de gestão e criar uma agenda positiva. Estamos preparados para atendê-los, para mudar essa realidade”, afirmou Pereira, dirigindo-se aos empresários presentes. Ele lembrou ainda que o sobrepeso é a epidemia do século 21 e tem relação direta com a baixa atividade física. “A questão deixa de ser a desnutrição e passa a ser o crescimento das doenças crônicas, o que atinge também a produtividade e o engajamento no ambiente de trabalho. Temos que facilitar o acesso à atividade física”, disse, fazendo referência aos serviços que o SESI oferece na unidade revitalizada.

Atendimentos na Serra - Neste ano, o SESI em Lages deve realizar mais de 4,8 mil exames médicos ocupacionais e outros 8 mil de audiometria, cerca de 6 mil aplicações de vacinas, 5 mil procedimentos odontológicos, contabilizar mais de 5,7 mil trabalhadores nos eventos esportivos, 87 mil atendimentos na ginástica laboral, 390 matrículas na educação de jovens e adultos e 9,9 mil matrículas em educação continuada. O SESI na região atende dez municípios, que reúnem cerca de 480 indústrias e cerca de 17 mil trabalhadores.

Performance empresarial – Na quinta-feira à noite, Côrte participou de encontro com lideranças do setor na Associação Empresarial do município (ACIL). No evento, o consultor Rogério Chér, especialista em cultura, liderança e engajamento, abordou o tema "Empresas de Alta Performance: por que algumas se destacam?". Em painel moderado pelo consultora do SESI Daniela Zanatta, os empresários Assis Strasser, presidente da GTS do Brasil, e José Valmir Calori, gerente de operações florestais da Klabin, debateram a competitividade do setor.

Encontro com prefeitos debate educação – A agenda do presidente Glauco José Côrte em Lages se encerrou com encontro com prefeitos da Associação dos Municípios da Região Serrana (AMURES) e empresários, para debater as iniciativas do Movimento Santa Catarina pela Educação. Ele insistiu na relevância do tema educação, eleito como bandeira de sua gestão na FIESC, e ressaltou que trabalhadores mais qualificados impactam em uma indústria mais produtiva e competitiva.

Por isso, o Movimento estabeleceu como desafio ter todo o trabalhador com a educação básica completa até 2024 e com qualificação técnica adequada à função. Para tanto, a FIESC conta com o apoio dos trabalhadores, das federações do comércio (Fecomércio), agricultura (Faesc) e transporte (Fetrancesc), além da Secretaria de Estado da Educação e da Undime-SC. Entre as iniciativas para o alcance da meta está o lançamento em julho de campanha estadual para elevação da escolaridade.

Côrte falou ainda sobre outras ações do Movimento como o projeto Eu voluntário: deixando o meu legado, que reúne em todo o Estado mais de 2,8 mil pessoas atuando em prol da educação; o workshop Conexão Jovem, que será realizado simultaneamente nas 16 vice-presidências da FIESC e reunirá 3,2 mil jovens; e o Programa Novos Caminhos, que já encaminhou para o mundo do trabalho 126 jovens que vivem em casas de acolhimento do Estado.

Assessoria de Imprensa
Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina