Na Holanda, FIESC apresenta SC como destino de investimento a mais de 300 empresários

Presidente da instituição destacou o potencial catarinense durante o Seminário Brazil Network Day, realizado em Utrecht, nesta terça-feira (7)
Imprimir
  • Presidente da FIESC, Glauco José Côrte, durante apresentação no Seminário Brazil Network Day (foto: Guilherme Bez)
  • Presidente da FIESC, Glauco José Côrte, durante apresentação no Seminário Brazil Network Day
  • Presidente da FIESC, Glauco José Côrte, durante apresentação no Seminário Brazil Network Day
  • Grupo de SC durante encontro com a embaixadora do Brasil nos Países Baixos, Regina Maria Cordeiro Dunlop, realizado em Haia (foto: Guilherme Bez)
  • Grupo de SC durante encontro com a embaixadora do Brasil nos Países Baixos, Regina Maria Cordeiro Dunlop, realizado em Haia (foto: Guilherme Bez)

Florianópolis, 7.11.2017 – No Seminário Brazil Network Day, que reuniu mais de 300 empresários europeus em Utrecht, na Holanda, nesta terça-feira (7), o presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), Glauco José Côrte, apresentou o potencial do Estado para receber investimentos estrangeiros. “É consenso geral que Santa Catarina pode representar uma atraente alternativa de investimento em áreas relacionadas à inovação e tecnologia”, resumiu Côrte ao final do encontro. Ele está articulando com a Câmara de Comércio Holanda-Brasil a vinda de uma missão de empresários holandeses para Santa Catarina no primeiro semestre de 2018. O evento foi realizado na sede do Rabobank, banco líder global em serviços de financiamento para alimentação e o segundo maior dos Países Baixos em número de ativos. A instituição tem 13 agências no Brasil.

A Holanda é o sétimo principal destino das exportações catarinenses, com 3,5% de participação na pauta. Entre os principais produtos embarcados estão carne, tabaco e gelatina. O estoque de investimento estrangeiro direto (IED) da Holanda no Brasil totalizou US$ 51 bilhões em 2015, valor que representa 14% do total dos investimentos e confere ao País europeu a segunda posição entre os investidores estrangeiros. No período, 85% dos investimentos holandeses no Brasil foram destinados à indústria, com foco nos setores: produtos químicos, produtos de metal, equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos, produtos minerais não-metálicos e veículos automotores. Outros 14,2% foram aplicados no segmento de serviços e 0,8% na agropecuária.

Em sua apresentação, o presidente da FIESC destacou o trabalho da agência de atração de investimentos INVESTE SC, parceria entre a FIESC e o Governo catarinense, e abordou o perfil da indústria do Estado que tem 50,8 mil estabelecimentos e 735 mil trabalhadores. O setor responde por 30% do Produto Interno Bruto (PIB) catarinense e por 56% das exportações. O PIB do Estado somou R$ 242 bilhões em 2014, o sexto maior do Brasil. Ele também abordou os desafios e potencialidades da infraestrutura catarinense e salientou que o Estado tem cinco portos que em 2016 movimentaram 41 milhões de toneladas e 1,7 milhão de TEU’S (o segundo maior do Brasil) e US$ 18 bilhões de corrente de comércio. Santa Catarina também tem 2,6 mil quilômetros de rodovias federais e 6 mil quilômetros de rodovias estaduais.

Também participaram do seminário o 1º vice-presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, o vice-presidente regional da entidade, Tito Alfredo Schmitt, o diretor de desenvolvimento institucional e industrial, Carlos Henrique Ramos Fonseca, o presidente da Câmara de Tecnologia e Inovação, Alexandre D’Ávila Cunha, e o secretário de Assuntos Internacionais do Governo de SC, Carlos Adauto Virmond. A comitiva participou do lançamento da Revista Bradutch, publicação on-line que auxilia brasileiros interessados em expandir seus negócios no mercado holandês e vice-versa.

Ainda na Holanda, em Haia, na noite desta segunda-feira (6), a FIESC participou de encontro com a embaixadora do Brasil nos Países Baixos, Regina Maria Cordeiro Dunlop.