Leilão do Hercílio Luz abre caminho para corrigir déficit histórico, avalia FIESC

Concessão do aeroporto de Florianópolis à iniciativa privada, encaminhada nesta quinta-feira (16), era antiga reivindicação da entidade
Imprimir
  • Grupo suíço Zurich deu o lance vencedor para administrar o Aeroporto Hercílio Luz (foto: Acervo Infraero)

Clique aqui e veja mais dados do aeroporto

Florianópolis, 16.3.2016 – A concessão do aeroporto Hercílio Luz ao grupo suíço Zurich Airport, definida em leilão realizado na Bovespa, em São Paulo, nesta quinta-feira (16), abre caminho para corrigir um déficit histórico, avalia o presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), Glauco José Côrte. “Recebemos a notícia com muito otimismo, pois passamos a ter, finalmente, uma perspectiva clara para a modernização e ampliação do aeroporto, uma promessa frustrada desde a primeira estimativa de entrega, que era o ano de 2008”, disse Côrte. “A disputa realizada por dois grupos interessados na concessão, elevando o valor da outorga para R$ 83 milhões, confirma a avaliação da Federação de que trata-se de um terminal atrativo e com perspectivas muito positivas”, acrescentou.

Em dezembro a FIESC recebeu o cônsul de economia da Suíça no Brasil, Philippe Praz, e realizou uma apresentação técnica com os dados e potencialidades do terminal. Praz, depois, levou as informações ao grupo suíço Zurich. “Esperamos agora que os trâmites previstos no edital transcorram normalmente, viabilizando a assinatura do contrato em julho”, afirmou Côrte.

Para ele, o resultado do leilão dos aeroportos de Florianópolis, Porto Alegre, Fortaleza e Salvador com ágio expressivo é um indicativo importante. “Mostra o potencial para avançar com mais consistência nos projetos de infraestrutura com participação do setor privado e regras que compatibilizem atratividade para investir com serviços adequados aos usuários”, disse.

Dados: O Complexo Aeroportuário Internacional Hercílio Luz foi inaugurado em 1955 e segundo a Infraero é o nono aeroporto do Brasil em movimentação de passageiros. De acordo com o projeto, o novo complexo terá capacidade para 6,7 milhões de passageiros por ano; 5 pistas de rolamento (taxiways); capacidade para até 15 aeronaves código “C” e 1 código “E”; 5 pontes de embarque e capacidade de estacionamento para 2.530 veículos.

Há anos a FIESC acompanha o tema e a mobilização da sociedade pela ampliação e melhoria da infraestrutura do aeroporto da Capital. Em outubro de 2015 a entidade publicou um vídeo em que evidencia as dificuldades enfrentadas pelos usuários do terminal, inclusive cadeirantes e pais com crianças no colo, obrigados a se deslocar até as aeronaves abaixo de chuva em meio a poças d’agua. Clique aqui e assista ao vídeo

 

 

Assessoria de Imprensa da FIESC
imprensa@fiesc.com.br
48 3231-4670 48 98421-4080