Jovens que vivem em abrigos do Vale do Itajaí concluem primeira etapa do Novos Caminhos

Iniciativa é resultado de uma parceria entre a Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), o Tribunal de Justiça (TJSC) e a Associação dos Magistrados Catarinenses (AMC)
Imprimir
  • No Vale do Itajaí, 20 jovens concluíram a primeira etapa do Novos Caminhos. Foto: Marcos Campos

“Este ato solene de entrega de certificados tem um sabor de sonho realizado, de dever cumprido, do sonho que liberta essa juventude para vida e para a sociedade”. As palavras do desembargador do Tribunal de Justica de Santa Catarina, Sérgio Izidoro Heil, resumem o sentimento dos jovens atendidos pelo Projeto Novos Caminhos. Nesta quarta-feira (26), 20 adolescentes que vivem em abrigos de Itajaí e Blumenau concluíram a primeira etapa com a formação Profissional do Futuro, realizada pelo Insituto Euvaldo Lodi (IEL/SC), entidade da FIESC. A iniciativa é resultado de uma parceria entre a Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), o Tribunal de Justiça (TJSC) e a Associação dos Magistrados  Catarinenses (AMC).

Ao completar 18 anos, eles precisam deixar os locais de acolhimento e muitos deles, não tem para onde ir. O projeto faz um acompanhamento e prepara os adolescentes para a vida pós-abrigo. Desde o início deste ano, eles passaram por um curso, dividido em nove módulos: ética; liderança; postura profissional para o mundo do trabalho; comunicação; flexibilidade, inovação e criatividade; relacionamento interpessoal e trabalho em equipe; comprometimento organizacional; pró-atividade no ambiente de trabalho e atitude pelo planeta.

Com a conclusão dessa primeira etapa, os jovens devem concluir a educação básica, por meio do SESI, ou iniciar um curso técnico no SENAI, de acordo com a área em que pretendem seguir carreira, para no futuro serem inseridos no mercado de trabalho.  O objetivo é proporcionar aos adolescentes, quando desligados do sistema de acolhimento, a perspectiva de uma vida adulta com qualidade. “Esses alunos já são vitoriosos. A partir de hoje, também passam a ser agentes transformadores da família e até mesmo da comunidade”, ressaltou Maurício César Pereira, vice-presidente da FIESC na Região da Foz do Rio Itajaí. 

O Tribunal de Justiça do Estado estima que nos próximos anos cerca de 470 jovens, ao atingirem a maioridade, deixarão os 170 abrigos no Estado. O projeto, que está em andamento em outras regiões do Estado, como Norte, Vale do Itajaí, Sul e Grande Florianópolis, integra o Movimento a Indústria pela Educação, que estimula o setor a promover o acesso ao ensino e amplia a oferta de serviços educacionais da FIESC. 

Assessoria de Imprensa da FIESC
imprensa@fiescnet.com.br