FIESC lidera missão à China

Representantes de empresas de cinco Estados embarcam nesta quinta-feira (12) para participar da Feira de Cantão, o maior evento de negócios do País
Imprimir
  • Comitiva brasileira vai participar da feira na China (foto: divulgação feira)

Florianópolis, 11.10.2017 – A Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) realiza missão empresarial à China de 12 a 20 de outubro, com a participação de representantes de indústrias de Santa Catarina, Amazonas, Paraná, São Paulo e Pará. A delegação participará da Feira de Cantão, o maior evento de negócios do País. A feira é realizada duas vezes ao ano − na primavera e no outono, na cidade de Guangzhou, desde 1957. A última edição, realizada em abril, contou com 196,5 mil visitantes chineses e estrangeiros de 200 países e regiões e 24,7 mil expositores. Segundo a organização, o evento movimentou cerca de US$ 30 bilhões em negócios. O grupo também participará de seminário para debater oportunidades de negócios e investimentos entre Brasil e China e fará visitas técnicas à empresa Huawei e ao Porto de Shenzhen.

A participação na feira permite aos industriais a prospecção de negócios e parcerias, o fortalecimento da rede de relacionamento na China, o incremento do comércio e o monitoramento de tendências. Os setores contemplados no evento são máquinas e equipamentos, pequenos maquinários, bicicletas e partes, motos e acessórios, autopeças, máquinas para construção, eletrodomésticos, produtos químicos, elétricos e eletrônicos, computadores e periféricos, produtos e comunicação, artigos sanitários, equipamentos de iluminação, materiais de construção e decoração.

Guangzhou tem cerca de 14 milhões de habitantes e um PIB de US$ 284 bilhões. É a capital da província de Guangdong, uma das mais promissoras da China, com população de 83 milhões de habitantes. Guangzhou é o centro político, econômico, científico, educacional e também cultural da província, sendo a maior cidade litorânea e com maior circulação de pessoas do sul do País. Concentra parte importante do parque industrial da China em setores que envolvem a produção de equipamentos eletrônicos (computadores, telefones celulares e aparelhos eletrodomésticos), extração e exportação de minérios, automóveis, instrumentos mecânicos e agrícolas. De 2011 a 2015, o governo investiu US$ 3,1 bilhões para apoiar o crescimento dos setores financeiro, seguro, feiras comerciais, logística, pesquisa e desenvolvimento, informática, automobilístico, petroquímico, biotecnologia e energético sustentável.

Shenzhen, cidade em que o grupo vai fazer visitas técnicas, tem 11,9 milhões de habitantes e um PIB de US$ 284 bilhões. Possui forte cooperação econômica com Hong Kong. Sedia um polo de alta tecnologia e fabricação do sul do País e é conhecida como o Vale do Silício da China, tendo duas zonas industriais: o parque industrial de alta tecnologia de Shenzhen (SHIP) e o parque de software de Shenzhen. A cidade abriga o terceiro porto de contêiner mais movimentado do mundo e o quarto aeroporto mais movimentado da China.

A missão é realizada em parceria com a Rede Brasileira de Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN) da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) em parceria com a China Trade Center (CTC).