FIESC debate parcerias com município de Rio Negrinho

Em reunião realizada na manhã desta terça-feira (17) no Centro de Excelência da cidade, a educação foi apontada como uma das principais oportunidades de cooperação
Imprimir
  • Côrte foi a Rio Negrinho acompanhado dos executivos das entidades da FIESC
  • Ronconi, Côrte e Huebl durante o encontro no município do Planalto Norte

Rio Negrinho, 17.1.2017 – As oportunidades de cooperação entre as entidades da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) e o município de Rio Negrinho, especialmente na área educacional, foram debatidas na manhã desta terça-feira (17) no Centro de Excelência do município pelo prefeito Júlio Ronconi, pelo presidente da FIESC, Glauco José Côrte, e lideranças locais. As conversas iniciaram antes mesmo da posse de Ronconi, quando este procurou a FIESC para desenvolver parcerias.

Conforme o prefeito, a sua administração pretende dar um choque de gestão, administrando o município como uma empresa, tendo como um dos principais objetivos gerar empregos e trazer riquezas e empreendimentos, valorizando o trabalhador e preparando ele para o mercado de trabalho. “Muitas empresas têm dificuldades para contratar, especialmente porque as pessoas não estão preparadas”, disse, acrescentando que a meta é realizar programas de qualificação com as entidades do chamado Sistema S, a fim de desenvolver os setores industrial e comercial de Rio Negrinho.

O presidente da FIESC esteve no município acompanhado do vice-presidente regional Arnaldo Huebl e dos executivos da Federação, do SESI, do SENAI, do IEL e do CIESC. Foram apresentados alguns dos principais programas educacionais e da área de inovação das entidades da FIESC. Côrte chamou atenção para a relação entre educação e desenvolvimento econômico e social, o que levou a entidade a lançar o Movimento Santa Catarina pela Educação. “A educação é importante demais para ficar apenas sob responsabilidade do setor público. Exige o envolvimento de todos”, afirmou.  Para inovar em produtos, design, marketing; para sair antes da crise, a indústria precisa de trabalhadores cada vez mais qualificados, acrescentou.

Para Côrte, embora os indicadores educacionais de Rio Negrinho estejam acima da média brasileira, podem e devem evoluir. “Prefeito, o senhor tem condições de liderar um movimento pela educação e melhoria do nível de escolaridade e qualidade do ensino. E pode contar com nosso apoio para isso”, afirmou.

 

 

Assessoria de Imprensa da FIESC
imprensa@fiesc.com.br
48 3231-4670 48 98421-4080