FIESC apresenta em Joinville estudo para ampliar capacidade da BR-101 Norte

Levantamento mostra que são necessários investimentos de aproximadamente R$ 3 bilhões, sendo R$ 2,6 bi no trecho catarinense e R$ 540 milhões nas BRs 376 e 116, no Paraná
Imprimir
  • Presidente da Câmara de Assuntos de Transporte e Logística da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, durante apresentação em Joinville (Max Schwoelk)
  • Moacir Thomazi, da Acij, Mario Cezar de Aguiar e Evair Oenning, da FIESC, durante reunião em Joinville (Max Schwoelk)

Florianópolis, 12.9.2017 – Estudo da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) mostra que são necessários cerca de R$ 3 bilhões em investimentos para melhorar as condições e a segurança das rodovias BR-101 Norte, BR-376 e BR-116 (contorno leste de Curitiba), trechos administrados pela Autopista Litoral Sul. O levantamento, realizado no âmbito do Grupo de Trabalho BR-101 do Futuro e Grupo Paritário de Trabalho BR-101 da ANTT, aponta que para o trecho Norte da rodovia em Santa Catarina são necessários R$ 2,6 bilhões e outros R$ 540 milhões para as BRs 376 e 116. O trabalho foi apresentado pelo 1º vice-presidente da FIESC e presidente da Câmara de Assuntos de Transporte e Logística da entidade, Mario Cezar de Aguiar, em reunião na Associação Empresarial de Joinville (ACIJ), na noite desta segunda-feira (11).

Ao todo, o trabalho propõe 130 intervenções entre melhorias nos acessos, construção de ruas laterais, faixas adicionais, viadutos, túnel, pontes, readequação de trevos, entre outras obras. As medidas recomendadas no estudo são consideradas essenciais para a manutenção de padrões de desempenho adequados e precisam ser implementadas nos próximos anos.

A BR-101 Norte é um eixo litorâneo estratégico para o desenvolvimento socioeconômico de Santa Catarina, cuja segurança e fluidez estão comprometidas em função do crescimento das cidades, das atividades econômicas e da movimentação portuária no seu entorno. Há segmentos da rodovia que apresentam índices de destaque no ranking das estradas com maior número de acidentes e de congestionamentos no País, o que reforça a necessidade de dar celeridade às melhorias propostas.

No âmbito do GT BR-101 do Futuro também serão feitos estudos sobre os temas: implantação de sistemas free-flow de pedagiamento por distância percorrida; compartilhamento da faixa de domínio com sistemas de transporte coletivo de média capacidade; implantação de passarelas de pedestres nos pontos críticos de travessia das rodovias da concessão; recomendação da implantação de vias e dispositivos de transposição de vias urbanas sobre a faixa de domínio, entre outros.

Os Grupos Paritários de Trabalho foram instituídos no âmbito das concessões rodoviárias administradas pela ANTT. Além da FIESC, entre as entidades que integram o grupo da BR-101 a PRF, Autopista Litoral Sul, ANTT, CREA-SC, CREA-PR, FETRANSPAR, FETRANCESC, SINDICAM-SC, SINDICOMBUSTÍVEIS-PR, SINCOMBUSTÍVEIS-SC, AMUNESC, COMDES, SINDIPETRO, Plamus Grande Florianópolis e AURESC.