Federações empresariais de SC lançam manifesto pelas reformas

Texto do documento é assinado pela FIESC, FECOMÉRCIO, FAESC, FETRANCESC, FACISC, FAMPESC e FCDL, que integram o COFEM
Imprimir

Clique aqui e veja a íntegra do manifesto

Florianópolis, 5.10.2017 – O Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (COFEM) lança o “Manifesto do Setor Produtivo de Santa Catarina por um Novo Brasil”. O texto do documento destaca que em meio à mais longa e profunda recessão da história recente do País, associada à crise sem precedentes no campo político, ético e social, a credibilidade dos Poderes constituídos encontra-se profundamente abalada. “Diante da gravidade da conjuntura com a qual nos deparamos, o setor produtivo catarinense comparece perante a sociedade para reafirmar o seu compromisso com a integridade e por um novo Brasil. Foi “Por um novo Brasil” que apoiamos a aprovação do limite de gastos públicos e a reforma do ensino médio. Foi “Por um novo Brasil” que defendemos e aplaudimos a atualização da legislação trabalhista, incluindo a terceirização, que fortalece a negociação coletiva e ajuda a criar um ambiente mais favorável à geração de novos postos de trabalho”, diz o texto.

O manifesto destaca que é “Por um novo Brasil” que as entidades defendem a reforma política, que acabe com privilégios, unifique o calendário eleitoral, acabe com as coligações nas eleições proporcionais, estabeleça cláusula de barreira para reduzir o número de partidos, privilegie os partidos com conteúdo programático, reduza substancialmente os gastos e o período de duração das campanhas eleitorais, estabeleça regras de compliance nas contratações do serviço público. “É Por um novo Brasil que clamamos por uma reforma do atual sistema tributário, burocrático e oneroso, que retira a competitividade das empresas e do País. Precisamos respeitar os princípios da boa tributação: transparência, justiça, equidade, simplicidade, universalidade, além de aderência à capacidade contributiva dos cidadãos e das empresas”, destaca o documento.

O texto do manifesto diz ainda que a reforma da previdência não pode mais ser protelada, pois, sem ela, o País corre o risco de se tornar insolvente. “Não podemos ficar reféns de interesses corporativos, sob pena de jamais obtermos o equilíbrio das contas públicas, pré-condição para o crescimento sustentado. Só com as reformas e com segurança jurídica é que superaremos a crise e criaremos um País produtivo, eficiente, democrático, transparente e com oportunidades para todos os brasileiros”, conclui o manifesto, salientando que o setor produtivo catarinense, por meio das entidades que o representam, mantém-se alerta e pronto para continuar contribuindo para transformar o Brasil numa nação melhor e soberana.

O COFEM é composto pelas federações empresariais que representam todos os setores da economia catarinense: indústria (FIESC), comércio (FECOMÉRCIO), agricultura (FAESC), transportes (FETRANCESC), das Associações Empresariais (FACISC), das micro e pequenas empresas (FAMPESC) e das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL).