Contorno de Florianópolis deve ficar pronto, na melhor das hipóteses, em 2021, aponta FIESC

Estimativa dos investimentos realizados até o momento correspondem a aproximadamente 25% do montante global necessário, informa o levantamento.
Imprimir
  • Localidade de Três Riachos onde está prevista a construção de ponte dupla, viaduto e interseção

Florianópolis, 20.12.2017 – O Contorno Viário de Florianópolis ficará pronto, na melhor das hipóteses, em janeiro de 2021, estima análise da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC). O levantamento expedito mostra que os investimentos até agora realizados correspondem a aproximadamente 25% do montante global necessário. Ainda não foram iniciadas as construções de aproximadamente 11,3 quilômetros de obras de artes especiais, entre elas, pontes (5 unidades), viadutos (12 unidades) e túneis duplos (4 unidades), além da implantação de 20,7 quilômetros de rodovia, a pavimentação de outros 32,9 quilômetros e a construção de quatro grandes interseções. As obras em andamento compreendem cerca de 70% da extensão total do Contorno. A análise foi realizada pelo engenheiro Ricardo Saporiti. Ele percorreu a obra nos meses de outubro e novembro, com apoio de um drone para captação de imagens aéreas. Clique aqui e assista ao vídeo com o status atual da obra.

“Esta é uma obra essencial para a segurança e fluidez do tráfego na região metropolitana de Florianópolis, cuja entrega estava prevista para 2012. É necessário haver uma mobilização junto à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para que seja dada a devida celeridade nas análises finais dos projetos executivos das obras de artes especiais, permitindo assim que a concessionária realize os investimentos previstos”, afirma o presidente da FIESC, Glauco José Côrte.

Pelo contrato de concessão, firmado em 14 de fevereiro de 2008, o Contorno Viário deveria estar em utilização a partir do quinto ano de concessão (2012). Mas a obra só foi iniciada em maio de 2014, logo após a emissão da Licença de Instalação pelo IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) do segmento entre os km 244 e 543 ao km 225 e 500. Em nova etapa do licenciamento, o IBAMA retificou a Licença de Instalação contemplando toda a extensão do Contorno, após o empreendedor finalizar o projeto de engenharia dos segmentos e apresentá-lo ao órgão ambiental, juntamente com o atendimento de condicionantes ambientais solicitadas em 2014, bem como o Estudo e o Plano Básico Ambiental do Componente Indígena exigido pela Fundação do Índio.

O prazo contratual final, que inicialmente era para fevereiro de 2012, quinto ano de concessão, foi sendo prorrogado sucessivamente para fevereiro de 2015, fevereiro de 2017, fevereiro de 2019 e, agora, para dezembro de 2020. Portanto, no início do 13º ano da concessão. O estudo ressalta que no processo licitatório de 2007, o orçamento básico previa para o Contorno investimento de aproximadamente 20% do custo global de toda concessão, bem como, desviar aproximadamente 20% do tráfego de longa distância da BR-101/SC da região metropolitana de Florianópolis (cerca de 22 mil veículos pesados por dia).