CNI e FIESC implantam modelo de atuação para beneficiar sindicatos e indústrias

Iniciativa foi apresentada nesta terça-feira (8), em Florianópolis. Projeto vai ser implementado no Sinduscon, Simmmel, Sinpesc e Sindimadeira, da Serra Catarinense.
Imprimir
  • Encontro foi realizado nesta terça-feira (8), em Florianópolis (foto: Filipe Scotti)
  • Encontro foi realizado nesta terça-feira (8), em Florianópolis (foto: Filipe Scotti)

Florianópolis, 8.8.2017 – O modelo de atuação articulada entre as áreas sindical e de mercado do Sistema Indústria foi apresentado na Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), nesta terça-feira (8), em Florianópolis. A iniciativa busca ampliar a oferta de soluções para os sindicatos e as indústrias, estimulando o associativismo. Inicialmente, o projeto será implementado no Sinduscon, Simmmel, Sinpesc e Sindimadeira, sindicatos que integram a vice-presidência regional para a Serra Catarinense. Mais tarde, será levado a outras entidades associadas à FIESC.

No encontro, o presidente da FIESC, Glauco José Côrte, salientou a importância de ouvir os sindicatos e a indústria. “As soluções têm que ser encontradas em conjunto. Estamos alinhados. Temos em comum sempre a questão da comunicação e como melhorá-la. O desafio é cada vez mais nos estruturarmos para aprimorar o atendimento”, afirmou, lembrando a capilaridade de SESI e SENAI, com presença em mais da metade dos municípios catarinenses. “Mesmo com o momento de crise, temos que olhar o lado da oportunidade. Talvez essa é a melhor hora de mostrarmos que podemos ajudar os sindicatos e as indústrias a encontrar soluções que viabilizem a sobrevivência e o crescimento. É um bom desafio”, completou.

O gerente-executivo de relações com o mercado da CNI, Paulo Henrique Batista Freitas, apresentou os principais pontos do modelo e fez um panorama do andamento da ação no País. “O desafio é associar mais empresas. Queremos que esse projeto seja o mais eficaz e eficiente possível”, declarou.