Evento na FIESC estimula ampliação do comércio entre SC e Bélgica

Embaixador Dirk Loncke manifestou preocupação com saída do Reino Unido da União Europeia e com futuras medidas de Trump
Imprimir
  • Encontro entre empresários catarinenses e belgas foi realizado nesta segunda-feira (12) na FIESC. Foto: Filipe Scotti
  • Encontro entre empresários catarinenses e belgas foi realizado nesta segunda-feira (12) na FIESC. Foto: Filipe Scotti
  • Schmitt e Loncke (centro). Foto: Filipe Scotti

Florianópolis, 12.12.2016 – A FIESC, a Embaixada da Bélgica no Brasil e a Belgalux, agência belga de promoção das exportações, realizaram, nesta segunda-feira (12), o Belgian Day, encontro que teve o objetivo de aumentar os negócios catarinenses com aquele país europeu. Os participantes puderam conhecer as oportunidades mútuas de negócios, parcerias e investimentos. O evento foi realizado em Florianópolis na sede da Federação das Indústrias.

“Santa Catarina se destaca em indicadores socioeconômicos relevantes, com a menor taxa de desemprego do país em 2015, o 4º maior PIB per capita em 2013 e o 3º maior IDH em 2010”, afirmou o vice-presidente da FIESC para a região Sudeste, Tito Alfredo Schmitt. Ele também citou estudos que colocam o Estado catarinense como o quarto no Brasil em infraestrutura e o terceiro em inovação.

O embaixador belga no Brasil, Dirk Loncke, disse que seu trabalho tem sido focado no desenvolvimento de comércio e da economia de maneira geral. “Temos que construir pontes entre Santa Catarina e a Bélgica”, salientou. Ele também destacou como fatores preocupantes para a União Europeia os impactos da saída do Reino Unido da comunidade econômica (o Brexit) e as medidas que podem ser adotadas pelo futuro presidente americano, Donald Trump.

O evento ainda contou com a exposição de instituições e empresas belgas sobre as potencialidades de comércio e turismo. Stefano Missir di Lusignano, conselheiro econômico e comercial da Brussels Invest & Export, salientou que na capital belga, Buxelas, residem pessoas de todos os países da União Europeia e, por isso, a cidade se tornou um importante laboratório de mercado, onde inúmeras indústrias testam produtos que desejam lançar nos demais países do continente. Ricardo Sproesser, representante do Porto de Antuérpia, um dos maiores da Europa, localizado na Bélgica, salientou que o Brasil já é o sexto parceiro comercial daquele porto.

Conforme o diretor de desenvolvimento institucional e industrial da FIESC, Carlos Henrique Ramos Fonseca, Santa Catarina responde 4% das exportações brasileiras, sendo o 8º maior exportador entre os Estados do país. Responde também por 7,5% das importações nacionais, constituindo-se o 4º maior importador. Fonseca destacou que Santa Catarina importa principalmente insumos industriais.

De janeiro a novembro deste ano, a Bélgica foi o 14º maior mercado de produtos catarinenses no exterior e o 22º maior exportador para o território catarinense. Nos últimos anos, a corrente de comércio de Santa Catarina para o país europeu superou 180 milhões de dólares. O principal produto é tabaco, que ultrapassou 118 milhões de dólares no ano passado. Por outro lado, as exportações belgas para o Estado catarinense têm sido de mais de 80 milhões de dólares por ano, sendo batatas preparadas ou conservadas o principal item, com 20,8 milhões de dólares em 2015.

 

Assessoria de Imprensa da FIESC
48 3231 4673 - 98421 3600 - ivonei@fiesc.com.br