Alto Vale discute ações a favor da saúde e segurança dos trabalhadores

Rio do Sul recebeu na manhã desta quarta-feira (12) o Workshop Aliança Saúde Competitividade
Imprimir
  • Participantes apresentaram os principais desafios e boas práticas em relação à saúde e segurança nas empresas (Foto: Debora Claudio)
  • Superintendente do SESI, Fabrizio Machado Pereira (Foto: Debora Claudio)
  • Participantes apresentaram os principais desafios e boas práticas em relação à saúde e segurança nas empresas (Foto: Debora Claudio)

Rio do Sul, 12.04.2017 – Saúde e segurança são temas que devem ser tratados como prioridade na sociedade e inseridos na agenda estratégica das organizações e do Estado, defendeu o superintendente do SESI, Fabrizio Machado Pereira, ao abrir o Workshop Aliança Saúde Competitividade com dados sobre saúde e segurança do trabalho no Brasil. Ele também alertou para a importância de se criar ações de prevenção. “Saúde é sinônimo de felicidade. Por isso, a prevenção é um tema precioso para a FIESC, pois além de cuidar das pessoas, tornando-as mais produtivas, também mantém a competitividade e a sustentabilidade econômica das empresas”, acrescentou Pereira.  

Pereira também apresentou estudo da Gallup, empresa de pesquisa de opinião dos Estados Unidos, que comparou organizações que mais investem em saúde e segurança com aquelas que menos investem. Segundo o levantamento, empresas que investem em saúde têm 48% menos incidentes de segurança, 37% menos ausências no trabalho, 41% menos problemas com qualidade na produção, 41% menos dias de trabalho perdidos e 10% mais clientes leais.

Participaram do workshop cerca de 80 pessoas, entre vereadores, representantes de entidades, de universidades, técnicos da área de Saúde e Segurança do Trabalhador (SST) e Recursos Humanos (RH). O prefeito municipal de Rio do Sul, José Thomé, também compareceu junto com sua equipe de governo. Em uma dinâmica os convidados puderam expor os principais desafios e boas práticas em relação à saúde e segurança nas empresas ou entidades onde atuam.

Depois, iniciaram as discussões para o levantamento de soluções, com base em quatro temas: Cultura para saúde e segurança, ambiente de trabalho e tecnologias, parcerias público-privada e gestão para competitividade. Todas as ideias serão compiladas e anexadas a um relatório unificado, com os resultados das 16 regionais da FIESC. “Além de divulgarmos o que foi levantado, também iremos analisar as ideias e selecionar as que podem ser transformadas em projetos”, disse o superintendente. “Percebo que na maioria dos encontros o que se repete é a necessidade de melhorar a comunicação para ampliar a cultura de saúde e segurança, além de fortalecer as parcerias público-privadas”, enfatizou Pereira.

O objetivo dos encontros é sensibilizar as lideranças sobre a importância de manter uma agenda estratégica de prevenção dentro e fora das empresas. “Quando as indústrias contribuem para melhorar as condições do ambiente de trabalho elas estão valorizando os colaboradores”, pontuou o vice-presidente da FIESC para o Alto Vale, Lino Rohden.  

Aliança Saúde Competitividade

A Aliança Saúde Competitividade, iniciativa da FIESC, visa ao engajamento de lideranças empresariais, acadêmicas, políticas e da sociedade na promoção da saúde e ambientes seguros para o trabalho, com ações de sensibilização e mobilização, além de reposicionar o tema como um dos fatores estratégicos para a competitividade da indústria. Instituições públicas como o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o Ministério Público do Trabalho em SC, Superintendência do Trabalho e Emprego em SC e Tribunal Regional do Trabalho, e federações de trabalhadores (FETIAESC, FETICOM, FETIMMMESC, FITIEC e FETIGESC) apoiam a Aliança.

Com informações de Debora Claudio.