Dados divulgados pela FIESC revelam alta em 12 dos 14 setores contemplados pela pesquisa

Florianópolis, 4.4.2018 – As vendas reais da indústria catarinense no primeiro bimestre aumentaram 12,7% em relação ao mesmo período de 2017, mostra a pesquisa indicadores industriais da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), divulgada nesta quarta-feira (4). No período, houve a ampliação em 12 dos 14 setores contemplados pelo levantamento. Entre os segmentos que mais cresceram no período estão vestuário e acessórios (36,3%), produtos de metal (30,9%), produtos alimentícios (27,2%), minerais não metálicos (17,6%), máquinas e equipamentos (16,1%), metalurgia (14,2%) e veículos automotores (13,7%). Os únicos setores que registraram contração foram equipamentos de informática e produtos eletrônicos (-0,19%) e produtos de borracha e material plástico (-1,8%). Acesse o Portal Setorial FIESC e veja os dados completos.

As vendas de fevereiro de 2017 em comparação ao mesmo mês no ano anterior registraram crescimento de 12%. A alta foi observada em doze atividades, nas quais as maiores ampliações estão em confecção de artigos de vestuário e acessórios (40,8%), produtos de metal (25,7%) e produtos alimentícios (24%). No período, os setores que registraram recuo foram produtos de borracha e material plástico (-2,6%) e em máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-2,3%).

Nos dois primeiros meses do ano, a utilização da capacidade instalada cresceu 2,09 pontos percentuais. No mesmo período, a massa salarial real aumentou 4,2%. O indicador expandiu-se em nove setores, com destaque para equipamentos de informática e produtos eletrônicos (22%), móveis (16,5%) e confecção de artigos de vestuário e acessórios (12,5%). As quedas foram registradas nos setores de produtos de borracha e material plástico (-1,9%) e máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-1,2%).

Resultado nacional: Depois de dois meses consecutivos de queda, o faturamento da indústria brasileira aumentou 0,5% em fevereiro na comparação com janeiro, na série livre de influências sazonais. Com isso, o faturamento real é 6,5% superior ao registrado em fevereiro de 2017, informa pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Conforme o levantamento, as horas trabalhadas na produção caíram 0,5% em fevereiro frente a janeiro, na série de dados dessazonalizados, interrompendo uma sequência de três resultados positivos. Na comparação com fevereiro do ano passado, as horas trabalhadas na produção cresceram 1%. O nível de utilização da capacidade instalada ficou em 78%, praticamente o mesmo de janeiro, e está 1,4 ponto percentual acima do registrado em fevereiro de 2017.

 

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco