Entidades do setor produtivo vão compor Conselho de Infraestrutura, que terá também a participação de outros representantes da sociedade. Objetivo é engajar Santa Catarina na necessidade de melhorar a infraestrutura e propor prioridades para a área

Florianópolis, 1.10.2018 – As entidades integrantes do Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (COFEM) definiram na manhã desta segunda-feira (dia 1o) participar do Conselho de Infraestrutura que será criado em outubro, sob coordenação da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) e que vai envolver também diversos outros representantes da sociedade. Além da FIESC, integram o COFEM as federações do comércio (Fecomércio), da agricultura (FAESC), dos transportes (Fetrancesc), das associações empresariais (FACISC), das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL) e das micro e pequenas empresas (Fampesc). Também serão convidadas outras entidades representativas do Estado para participar da iniciativa, que tem o objetivo de contribuir para as diretrizes da política de transporte catarinense.

 

Ao explicar a iniciativa, o presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, lembrou que o custo logístico das empresas catarinenses (R$ 0,14 por real faturado) está acima da média nacional (R$ 0,11), conforme estudo realizado pela Universidade Federal de Santa Catarina, e também acima do observado em outros países, como Estados Unidos (R$ 0,085). Em alguns segmentos, como o da agroindústria, o baixo nível de investimentos na área pode ameaçar o futuro do setor, que tem dificuldades principalmente para trazer insumos do Centro-Oeste do País em condições competitivas. “Temos apenas uma rodovia federal duplicada, que ainda precisa ser concluída”, exemplificou Aguiar, referindo-se ao túnel do Morro dos Cavalos, que não foi realizado dentro do projeto de duplicação da BR-101. “Infraestrutura é fundamental para a economia”, resumiu, acrescentando que o Conselho terá papel fundamental na realização de estudos e definição de projetos prioritários, sempre com sólido embasamento técnico.

 

Os presidentes da Fecomércio, Bruno Breitaupt, e da FACISC, Jonny Zulauf, ressaltaram que nas recentes consultas realizadas juntos às respectivas bases industriais, as duas entidades também receberam a orientação de que a infraestrutura é prioridade entre as preocupações do setor empresarial. O presidente da Fetrancesc, Ari Rabaioli, lembrou do baixo volume de pavimentação de rodovias nos últimos anos em Santa Catarina, confirmado por estudo da Confederação Nacional dos Transportes.

 

Na reunião desta segunda-feira, o COFEM também fechou questão para defender que no processo de concessão do trecho Sul da BR-101 não seja cobrada outorga, defendendo com isso que o cálculo da tarifa de pedágio seja baseado na manutenção da rodovia e nos investimentos nas melhorias futuras.

 

 

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco