Projeto desenvolvido em Chapecó com 2,5 mil alunos foi apresentado nesta sexta-feira (29) aos conselheiros do Movimento SC pela Educação

Confira a cobertura fotográfica completa no Flickr da FIESC

Florianópolis, 29.7.2016 – O desenvolvimento de competências socioemocionais, o trabalho de jovens embaixadores da educação e o Plano Nacional de Educação nortearam as discussões da reunião do Conselho de Governança do Movimento Santa Catarina pela Educação. “Por meio de um projeto realizado em Chapecó, estamos desenvolvendo habilidades não-cognitivas com os nossos alunos. É a capacidade de se relacionar, ter iniciativa e de trabalhar em equipe. A iniciativa tem sido um sucesso”, avaliou o presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), Glauco José Côrte. O encontro foi realizado nesta sexta-feira (29), na FIESC, em Florianópolis, e reuniu representantes das entidades ligadas à indústria, comércio, agricultura e transporte, que agora integram o Movimento, além dos trabalhadores do setor produtivo.

O projeto que desenvolve as chamadas habilidades não-cognitivas – criatividade, colaboração, foco, pensamento crítico, por exemplo – é desenvolvido em 50 escolas públicas de Chapecó e região, além da unidade do SENAI do município. No total, 2,5 mil alunos são beneficiados pela ação que tem parceria da FIESC com o Instituto Ayrton Senna, a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e as secretarias municipal e estadual de Educação. Daiane Zamoner, que leciona na rede estadual e municipal de Chapecó, falou sobre a aplicação do projeto na região.  “Quando fui convidada a participar do projeto, ele já me transformou. A forma de trabalhar com o aluno inclui a autoavaliação, o que permite que ele mesmo identifique o quanto ainda pode avançar”, explicou. 

Tatiana Pimentel, diretora do Instituto Ayrton Senna, falou sobre a pesquisa realizada pela entidade com 3,7 mil docentes de todo o País que reconhecem a importância de abordar habilidades não-cognitivas. “Eles entendem que a missão da escola é desenvolver essas e outras competências. Claro que vai além do aprendizado, que é o primeiro degrau nessa escada”, afirmou. O município de Chapecó é o único do Brasil a participar do projeto que envolve outros 10 países.

Plano Nacional de Educação: A presidente-executiva do Movimento Todos pela Educação, Priscila da Cruz, fez um balanço sobre as metas do Plano Nacional de Educação (PNE), que passou a ser lei no Brasil em 2014. “O grande problema do Brasil foi nunca ter colocado a educação como eixo central do seu projeto de desenvolvimento. O PNE é o documento mais próximo a um projeto de Estado e que bom que Santa Catarina está ajudando a abrir os olhos para isso”, destacou Priscilla. Embora com atraso, a  maioria das metas e estratégias do PNE está em andamento, afirmou Priscila. Dentre as ações mais urgentes estão a definição da base nacional comum curricular, mecanismos de consulta de demanda por creche, a universalização do acesso a escola da população de 4 e 5 anos e de 15 a 17 anos, além da articulação do sistema nacional de educação para promover o equilíbrio de responsabilidades e de recursos entre os entes federados. Confira mais em www.opne.org.br .

Jovens embaixadores: Luíza Haas e Tiago Klein, embaixadores da educação que integram o projeto Conexão Jovem em São Miguel do Oeste, falaram sobre as ações que estão promovendo na região. “Realizamos nas escolas-parceiras do Movimento ações previstas no plano que desenhamos. Uma das novidades é a caixa coletora de sugestões para alunos das escolas municipais, implantada pela Secretaria de Educação. A ideia surgiu numa reunião da Câmara Regional”, contou a jovem. Eles também oferecem auxílio aos estudantes que querem se inscrever no Missu, plataforma voltada ao aperfeiçoamento dos jovens que enfrentam avaliações como o ENEM e vestibulares. Tiago falou sobre o projeto de voluntariado, que mobilizou 700 jovens que integram o Leo Clube na região. “Encontramos propósitos comuns entre o projeto do Movimento e o Leo Clube e desenhamos cinco propostas de atividades para estes jovens”, detalhou.

O projeto Eu voluntário: deixando o meu legado foi lançado numa das reuniões do Conselho de Governança, em 2015. Hoje a ação conta com 2,2 mil voluntários que executaram 901 horas de voluntariado e beneficiaram mais de 4 mil pessoas. A fanpage do projeto no Facebook reúne mais de 10 mil pessoas.

O presidente da FIESC resgatou ainda as principais ações promovidas no âmbito do Movimento. Citou a visita do Ministro da Educação a Santa Catarina, José Mendonça Filho; a instituição do Dia da Família na Escola, que reuniu em sua primeira edição cerca de 1 milhão de pessoas no Estado; e também os seminários Diálogos sobre Gestão Escolar, tema que é foco das ações do Movimento este ano. “É impressionante o apelo que a educação tem. Em São Miguel do Oeste, por exemplo, mais de 300 pessoas assistiram ao evento”, comentou Côrte em relação à participação de lideranças nestes seminários. Até o momento, mais de 2,7 mil pessoas já prestigiaram estes encontros realizados em Lages, São Miguel do Oeste, Chapecó, Luzerna, Concórdia, Jaraguá do Sul, Rio do Sul, Criciúma, Capivari de Baixo e Brusque. Na próxima semana, São Bento do Sul e Joinville recebem o seminário no dia 5 de agosto, às 8 horas e às 14 horas, respectivamente. 

Ari Alano, representante das Federações dos Trabalhadores no Conselho, lembrou o desafio de ter todos os trabalhadores com escolaridade completa até 2024 e com qualificação profissional compatível com a função. “Temos visitado algumas federações que estão dispostas a contribuir, mas é um grande desafio que só poderá ser superado com o apoio das federações de indústria”, ressaltou, lembrando a relevância do trabalho em rede de todos os integrantes do Conselho. O secretário de Estado da Educação, Eduardo Deschamps, destacou que a união promovida pelo Movimento é fundamental para solucionar esta questão.

“Estamos à disposição com os nossos sindicatos rurais. Depois que passamos a integrar o Movimento, começamos a acordar para a qualificação do nosso produtor rural. Criamos o curso técnico em agronegócio em São Joaquim, Fraiburgo, Seara, Campo Alegre e Braço do Norte. Queremos estender até o final do ano a São Miguel do Oeste e Joaçaba. Queremos ser parceiros atuantes desse Movimento, nos incluir ainda mais nesse processo”, afirmou José Zeferino Pedrozo, presidente da Federação da Agricultura e Pecuário de Santa Catarina (FAESC). 

Antônio Carradore, assessor do Movimento SC pela Educação, apresentou ações das Câmaras Regionais de Educação, que ampliam a atuação do Movimento nas vice-presidências da FIESC. Ao todo, 420 profissionais estão envolvidos nestes grupos de trabalho, incluindo gestores municipais de educação, representantes de sindicatos de indústria e dos trabalhadores, além de representantes dos setores da agricultura, comércio e transporte. Entre as ações conduzidas pelas Câmaras estão o projeto de voluntariado, o das escolas-parceiras e planos de ação voltados para a elevação da escolaridade e da qualificação profissional do trabalhador. 

Durante a reunião, o novo presidente da Federação das Empresas de Transporte de Carga e Logística de Santa Catarina (Fetrancesc), Ari Rabaiolli, tomou posse como conselheiro do Movimento.
 

Elida Hack Ruivo
48 3231 4244
48 9176 2505
elida.ruivo@fiesc.com.br

Assessoria de Imprensa
Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

 

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco