Em reunião da Câmara de Transporte e Logística da entidade, presidente do Floripa Airport demonstrou preocupação com a obra de acesso ao novo terminal

Clique aqui e veja a cobertura fotográfica no Flickr da FIESC 

Florianópolis
, 21.3.2018 –
A atualização do plano aeroviário, a definição de uma política de transporte aéreo de cargas e passageiros e o fortalecimento dos aeroportos regionais desafiam o setor em Santa Catarina. O alerta foi feito pelo presidente da Câmara de Assuntos de Transporte e Logística da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), Mario Cezar de Aguiar, nesta quarta-feira (21), em Florianópolis. “Precisamos atualizar nosso plano aeroviário para que possamos colocar em ordem de prioridade quais são os investimentos que o Estado deve buscar para ter uma infraestrutura aeroportuária mais adequada à nossa economia”, disse.


Aguiar destacou que o plano aeroviário vigente no Estado é de 1990. De lá para cá Santa Catarina saiu de uma população de 4,6 milhões de habitantes para 7 milhões, um crescimento de 52,2% no período. Em relação ao número de passageiros no transporte aéreo, passou de 500 mil para 5,9 milhões em 2017, alta de 1.082%. No ano passado, a movimentação de cargas no modal alcançou 9,7 mil toneladas.

“O plano vai definir uma política de transporte aéreo para cargas e passageiros e para fortalecer nossos aeroportos. Temos visto que por falta de planejamento muitos investimentos são feitos, mas não são complementares. É necessário priorizar os investimentos e isso só pode ser feito se tivermos o plano aeroviário atualizado”, reforçou Aguiar. O secretário de Infraestrutura, Paulo França, disse que o órgão planeja ações na área e que o ideal seria atualizar o plano a cada cinco anos.

O diretor-presidente da concessionária Floripa Airport, Tobias Market, apresentou os principais pontos do projeto do novo terminal de passageiros do aeroporto de Florianópolis, mas demonstrou preocupação com a via de acesso para chegar ao terminal. Ele lembrou que a empresa vai investir R$ 550 milhões e que o retorno depende de um fator externo. Ressaltou, contudo, os avanços nos últimos meses, como a obtenção da licença de construção. “Nossa preocupação é que atualmente o acesso está sendo programado para julho de 2019. O nosso prazo máximo de entrega do novo terminal é outubro de 2019 e nosso cronograma prevê, inclusive, finalizar a obra antes”, disse.

Em relação ao acesso ao aeroporto de Florianópolis, o secretário de Infraestrutura, Paulo França, disse que estão faltando duas licitações: “uma já ocorreu e está em fase final de contratação e na outra foram incluídas todas as condicionantes do ICMBIO, dentro do último lote, e essa licitação sai ainda esse mês. Já era para ter saído, mas tivemos alguns atrasos em relação a esses ajustes. Porém já temos todo o projeto e o orçamento fechado. Está no trâmite final para lançamento”, explicou ele. “Temos uma série de componentes e a gente está tratando com todas as situações. Estamos numa área sensível, com alteração do projeto e com desapropriações. Estamos fazendo um grupo de trabalho para cuidar disso”, completou. Segundo ele, se não tiver empecilhos, há possibilidade de cumprir o prazo físico de execução de obras até fevereiro, contudo lembrou que há o trâmite burocrático do processo.

Chapecó vai privatizar: Ainda na reunião, o diretor-geral de modernização administrativa da Prefeitura de Chapecó, Diego Ferraz, disse que o aeroporto de Chapecó será concedido à inciativa privada. “O caminho que decidimos é a concessão. Trabalhamos há um ano forte em cima disso. Estamos com a casa pronta juridicamente e a sociedade também quer isso. Nossa expectativa é que o projeto seja iniciado ainda este ano e sua conclusão ocorra dentro do ano que vem”, informou.

“Temos um terminal de passageiros que deveria ter o triplo do tamanho que tem hoje para garantir conforto”, afirmou Ferraz, salientando que o atual terminal de passageiros será ampliado. Serão investidos R$ 10,6 milhões, com recursos vindos do Programa de Aviação Regional. Segundo ele, serão restauradas as instalações, vias de acesso e estacionamento e triplicada a sala de passageiros. Segundo ele, o edital deve ser lançado em 60 dias, com previsão de início das obras ainda no primeiro semestre deste ano. Chapecó está localizada numa região que tem cerca de 2,7 milhões de habitantes (considerando 300 municípios de SC, RS e PR).

“Precisamos dotar o oeste catarinense de uma infraestrutura que não só permita a manutenção do atual bom desempenho econômico da região, mas que também permita o seu incremento. O aeroporto é extremamente importante para isso”, finaliza Aguiar.

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco