A FIESC encaminhou ofício aos deputados federais catarinenses alertando que Proposta de Emenda à Constituição, se aprovada, elevará o custo do trabalho e afetará a competitividade das empresas brasileiras

Florianópolis, 17.3.2015 – A Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) encaminhou ofício aos deputados federais catarinenses manifestando preocupação com a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 451/2014) que obriga a concessão de plano de assistência à saúde dos trabalhadores urbanos e rurais por parte do empregador. De autoria do deputado federal Eduardo Cunha, a proposta foi apresentada no dia 22 de dezembro último e será analisada na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados.

No documento, a FIESC, em linha com a posição da Confederação Nacional da Indústria (CNI), alerta que transferir para as empresas mais esse encargo aumenta o custo do trabalho, afetando a competitividade das empresas e, em última instância, gerando prejuízos aos próprios trabalhadores. “O custeio da saúde pelo empregador deve se manter como hoje já é feito, por meio da negociação coletiva, em respeito às realidades setoriais e regionais específicas”, diz a carta assinada pelo presidente da FIESC, Glauco José Côrte. “Ao criar mais obrigações para o empregador, o Poder Legislativo onera o setor produtivo e prejudica a indústria nacional”, completou ele, que solicitou aos parlamentares a rejeição da matéria.

 


Assessoria de Imprensa da FIESC
48 3231 4670 | 48 8421 4080
imprensa@fiescnet.com.br

 

 

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco