Evento de comemoração foi realizado na noite de sexta-feira (4), na sede da empresa, em Rio do Sul

Rio do Sul, 04.05.2018 - O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), Glauco José Côrte, esteve presente na solenidade festiva dos 70 anos da Pamplona Alimentos. A FIESC Alto Vale esteve representada pelas diretoras do SESI, Irene Colaço Westphal, e do SENAI, Graziela da Silva Branco. Também estavam presentes o superintendente do SESI/SC, Fabrizio Machado Pereira, o prefeito de Rio do Sul, José Thomé, o secretário Estadual de Agricultura, Airton Spies, e demais autoridades e representantes de entidades da região.

Côrte elogiou a trajetória da empresa, criada de forma singela por Ana e Lauro Pamplona em 1948, na localidade de Mosquitinho, em Agronômica. “Tamanha grandeza industrial se constrói a partir da labuta e do empreendedorismo. A Pamplona Alimentos é exemplo de que o trabalho duro e o pensamento inovador resultam em prosperidade econômica”, ressaltou Côrte em seu discurso.  As estratégias da empresa foram comentadas pelo presidente. “A constante busca por inovações também é o foco da FIESC. A participação dos empresários da Pamplona nas discussões e defesas de interesses do setor industrial catarinense é uma contribuição que ultrapassa as barreiras da empresa e do município, passando para uma contribuição à indústria de Santa Catarina e servindo de exemplo de competitividade ao setor agroalimentar brasileiro”, concluiu dando os parabéns a todos os diretores e colaboradores da empresa.

O setor agroalimentar catarinense emprega mais de 110 mil trabalhadores. Santa Catarina está em primeiro lugar no abate de suínos e é responsável por 44% das exportações de carne suína do Brasil.

No início de suas atividades a Pamplona, que já se chamou Açougue Riossulense e depois Frigorífico Riosulense, se dedicava exclusivamente ao abate de bovinos. Com o passar dos anos, os fundadores viram a necessidade de aumentar a oferta de produtos com o abate também de suínos. “Nossos pais faziam todo o trabalho manualmente usando um toco de madeira e deitando as carnes em folhas de samambaia. Eles nos deixaram como herança a dedicação e o amor pelo trabalho, que mantemos até hoje, incentivando estes valores também nas novas gerações”, contou Irani Pamplona Peters, presidente da Pamplona Alimentos.

O desenvolvimento da empresa exigiu um novo espaço físico e o local escolhido foi Rio do Sul, às margens do trajeto onde seria implantada a BR-470.  O crescimento resultou ainda na construção de um parque fabril em Presidente Getúlio, uma fábrica de ração em Laurentino, na ampliação da estrutura na sede e na criação de dois show-rooms (Rio do Sul e Itajaí). Além de comercializar para todo o Brasil, a Pamplona Alimentos também exporta para diversos países, entre eles Rússia e China.

Atualmente a indústria conta com mais de 2,7 mil colaboradores, além das centenas de famílias produtoras de suínos e bovinos. A geração de renda da empresa, com responsabilidade socioambiental, contribui para o fortalecimento econômico da região.

Com informações de Débora Cláudio

Assessoria de Imprensa
Federação das Indústrias de Santa Catarina 

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco