13 empresas e sindicatos foram reconhecidos pelas práticas educacionais que executam para elevar a qualificação dos seus trabalhadores e da comunidade

Veja a cobertura fotográfica completa no Flickr da FIESC.

Confira a reportagem da TV Indústria.

Florianópolis, 30.8.2018 – O presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, citou na abertura do evento estudo da Fundação Getúlio Vargas que mostra que, se o Brasil tivesse as mesmas taxas de investimento da Coreia do Sul em educação desde 1950, seria pelo menos 18% mais rico do que é atualmente. “Por outro lado, se o país apresentasse as mesmas taxas de escolaridade que o país asiático, seria 40% mais produtivo”, frisou.

Aguiar lembrou que iniciativas voltadas à qualificação do trabalhador vêm contribuindo para o desenvolvimento das pessoas e o alcance de melhores resultados nos negócios. “É nosso dever dar visibilidade a essas empresas que estão comprometidas com os seus trabalhadores e com a criação de ambientes de trabalho sempre mais competitivos e sustentáveis”, disse.

O especialista em relações do trabalho, José Pastore, participou da entrega do Prêmio e falou sobre a educação como estratégia competitiva para as empresas. “O economista Paul Krugman, que ganhou o Prêmio Nobel, diz o seguinte: a produtividade não é tudo para o crescimento econômico, mas é quase tudo. E eu diria: a educação não é tudo para a produtividade, mas é quase tudo”, defendeu.  

Estudos mostram que um ano a mais de escolaridade tem impacto significativo na remuneração do trabalhador. Pastore afirmou que treinamentos geram retornos de longo prazo sobre a produtividade e os salários. “Além disso, estamos vivenciando transformações importantes no mundo do trabalho, com as carreiras múltiplas. As escolas tradicionais não dão conta de acompanhar a revolução 4.0”, destacou.

Um painel reuniu representantes de empresas que já ganharam o Prêmio SC Pela Educação para discutir soluções para transformar a educação em fator-chave para a geração de valor competitivo. Integraram o painel as empresas Zen, Duffato e BN Papel Catarinense. A conversa foi mediada pelo diretor de desenvolvimento de pessoas da ABRH Brasil, Luiz Edmundo Rosa, e teve participação do assessor executivo do Movimento, Antonio Carradore. 

Durante o evento, o Instituto Euvaldo Lodi (IEL) também entregou troféu às vencedoras do Prêmio Melhores Práticas de Estágio. A Coteminas S.A., de Blumenau, e a Andritz Separation, de Pomerode, se classificaram para a etapa nacional do prêmio de estágio, que será realizada dia 12 de setembro, em Goiânia (GO).

Confira as práticas vencedoras do Prêmio SC Pela Educação:

A) Programa de Educação Corporativa  

Viveiro Florestal DuffAtto:
A prática vencedora Meio Ambiente, Aprender Para Preservar! consiste em um sistema de interação entre a sociedade e os colaboradores, a partir de aulas práticas no viveiro, visando ampliar o conhecimento sobre o meio ambiente para aprender a preservá-lo. O curso realizado na sede do Viveiro, em Monte Castelo, dissemina conhecimento sobre a preservação ambiental e distribui mudas para o plantio e a melhoria do meio ambiente.

BN Papel Catarinense Ltda: a empresa de Benedito Novo oferece desde 2013 a Academia de Líderes para atuais e futuros líderes. Entre os resultados da formação, destaca-se a melhora no processo de comunicação entre líderes e liderados, proporcionando uma relação de maior confiança. A BN Papéis está entre as melhores empresas para trabalhar de acordo com a pesquisa do Great Place to Work, desde 2015. 

Irmãos Fischer S. A. Industria e Comércio: Com o projeto Desenvolver para engajar, a empresa de Brusque busca estimular o aperfeiçoamento e a qualificação profissional contínua dos seus trabalhadores. O programa aborda questões profissionais, criatividade e relacionamentos interpessoais. Os treinamentos corporativos foram implantados com maior intensidade a partir de 2009. Desde o início do projeto, a empresa já realizou quase 49 mil horas de treinamento para 7 mil colaboradores. 

Zen S.A Indústria Metalúrgica: O programa Agente Lean - Desdobrando a estratégia através da educação visa desenvolver as pessoas por meio de um processo de educação contínua que estimule o pensamento Lean e desenvolva comportamentos e atitudes que combatam constantemente os desperdícios para elevar a competitividade e a excelência operacional. Os instrutores dos cursos são profissionais da Zen. Desde o início, há cinco anos, 195 colaboradores já passaram pela formação e desenvolveram mais de 200 projetos de melhoria que foram implementados na empresa. 

Sindicato da Indústria da Construção e de Artefato de Concreto Armado do Oeste: Em Chapecó, o projeto Sinduscon na Escola, que leva palestras sobre saúde e segurança no trabalho às escolas para alunos do 9º ano, aptos a participarem de programas de aprendizagem. O objetivo é contribuir para formar cidadãos mais conscientes com relação à segurança nas atividades da construção civil e identificar a necessidade de práticas de prevenção no local de trabalho. Aproximadamente 900 estudantes participaram no ano passado dos encontros que trataram de temas como soterramento, choque elétrico e queda de altura.

B) Elevação da Escolaridade Básica do Trabalhador  

Instituto José Paschoal Baggio:
o Caderno Jovem - What's Up? É produzido mensalmente por estudantes do ensino médio, de escolas públicas estaduais da Serra Catarinense, que se reúnem para discutir temas como formação profissional, carreira, Enem, entre outros. A partir da reflexão sobre os temas, eles produzem matérias que são divulgadas no Caderno What's Up. A publicação circula nas 44 escolas estaduais que compõe a 26ª Gerência Regional de Educação.

Seara Alimentos: a indústria de alimentos de Seara oferece desde 2014 o programa Educação Básica In Company. As aulas acontecem uma vez na semana, durante o horário de trabalho. Participam 70 trabalhadores com idade entre 40 e 49 anos que ainda não concluíram a educação básica. O programa também visa estimular a qualificação contínua dos profissionais. 

Serpil Móveis Ltda: na indústria moveleira de Pinhalzinho, o programa EJA Serpil - quem estuda, viaja no tempo adquirindo conhecimento já beneficiou 250 trabalhadores da Serpil e de outras empresas da região oferecendo cursos para jovens e adultos que não concluíram a educação básica. Participam das formações colaboradores que exercem funções como alimentador de linha de produção, costureira, faxineira, pintor de móveis, operador de máquina, colchoeiro, auxiliar de pintura, carregador (carga e descarga de mercadoria), vigia, operador de empilhadeira. 

Sindicato Das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico De Lages (SIMMMEL): o sindicato passou a oferecer este ano a EJA Profissionalizante para elevar a escolarização básica dos trabalhadores das indústrias destes segmentos. Participam 36 profissionais que frequentam o ensino médio e curso técnico concomitantes. Além de elevar o nível de escolaridade dos colaboradores e a qualificação profissional, o programa visa prepará-los para a adoção de novas tecnologias, serviços e produtos. 

C) Educação Profissional Do Trabalhador 

Cooperativa Regional de Comercialização do Extremo Oeste:
Qualidade no Transporte do Leite é a prática vencedora da Cooperoeste – Terra Viva, de São Miguel do Oeste. Iniciada em 2016, a formação tem o objetivo de treinar os profissionais que atuam na coleta e transporte do leite, quanto à legislação vigente e às práticas corretas e necessárias para garantir a qualidade, integridade e segurança do produto, desde a coleta até o descarregamento na indústria. A capacitação é realizada com material produzido pelo SENAR. 

Hoplon Infotainment S/A: Em Florianópolis, a empresa desenvolve o Projeto Hoplon XP Burst que consiste em várias frentes de atuação para qualificar os colaboradores. Mensalmente, a Hoplon oferece cursos, palestras, congressos, coachings, workshops, grupos de estudo e treinamentos terceirizados. Todos os profissionais são beneficiados pelas ações. Entre os principais resultados do projeto destacam-se a melhoria da autonomia para solucionar demandas, das práticas de produção (qualidade) e da adaptação aos processos produtivos.

Prefeitura Municipal de Luzerna: O município lançou em 2013 o projeto Educação para o Mundo do Trabalho que oferece aos estudantes qualificação técnica no contraturno escolar. A partir do 6º ano, alunos experimentam o Espaço Maker do SESI, aprendendo noções nas áreas de Comunicação e Mídias, Matemática e Jogos, Ciências e Tecnologia, além de Robótica e participam de cursos de Iniciação profissional do SENAI nas áreas de mecânica, elétrica, automação, robótica, programação de aplicativos para dispositivos móveis e programação de jogos. No 9º ano os alunos começam a ter cursos de qualificação nestas áreas. Também este ano o programa avançou para alunos do Ensino Médio com cursos de qualificação em mecatrônica e automação residencial. O projeto já beneficiou 250 estudantes do município com idade entre 14 e 24 anos.  

Sindicato Rural de Araranguá: por meio da Assistência Técnica e Gerencial Rural/Fruticultura (ATEG), o sindicato de Araranguá atende produtores rurais, na cadeia de fruticultura, inseridos na região, possibilitando acesso ao modelo de assistência técnica, associada à consultoria gerencial à formação profissional rural, favorecendo o desenvolvimento profissional e a qualidade dos produtos oferecidos. A metodologia foi desenvolvida pelo SENAR e conta com a adesão de 28 produtores rurais da fruticultura. 

Assessoria de Imprensa
Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina
48 | 3231 4244
imprensa@fiesc.com.br 
 

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco