Possibilidade de aumento de 13% na tarifa do insumo no início de 2019 e vencimento de contratos de fornecimento foram discutidos pela Câmara da Energia da FIESC

Florianópolis, 26.7.2018 – Depois do reajuste de 26% na tarifa do gás natural em Santa Catarina no início deste mês, a possibilidade de novo aumento do insumo na ordem de 13% no início de 2019 preocupa a indústria de Santa Catarina. O tema foi apresentado na reunião da Câmara de Energia da FIESC, nesta quinta (26) pelo presidente da SC Gás, Cosme Polêse, e pelo gerente de regulação da Agência Reguladora de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc), Silvio Cesar dos Santos Rosa. O aumento assim como a taxa estão previstos dentro das atuais condições econômicas, mas podem se modificar caso ocorram variações – cambiais, por exemplo.

Outros fatores geram incertezas quanto à tarifa do gás natural e mesmo de seu fornecimento. O primeiro deles é o modelo de remuneração da SC Gás, que será alterado também no início de 2019 e será colocado em consulta pública nos próximos meses. Além disso, em 2020 vencem os contratos de fornecimento pela Bolívia à Petrobras e da petrolífera com a SC Gás. “A Petrobrás já sinalizou que pretende reduzir suas operações com gás natural e pode nem mesmo renovar esses contratos. Surgem outras possibilidades, como a compra direta na Bolívia pela SC Gás e outras concessionárias da região Sul e Mato Grosso do Sul ou mesmo pelas indústrias consumidoras”, explica o presidente da Câmara de Energia da FIESC, Otmar Muller. Ele salienta que uma nova lei de regulação do mercado de gás natural tramita na Câmara Federal. No entanto, o ritmo lento da aprovação dessas normas traz incertezas para os envolvidos, adiando as decisões providências.


Assessoria de Imprensa
Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco