Apesar da variação ter sido de apenas 0,5%, valor é o maior dos últimos seis anos, mostram dados divulgados pela FIESC

Florianópolis, 5.4.2018 – As exportações catarinenses totalizaram US$ 1,95 bilhão no primeiro trimestre do ano, com variação de 0,5% frente ao mesmo período de 2017. O resultado é o maior valor dos últimos seis anos e coloca o Estado como responsável por 3,6% das vendas externas brasileiras. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) e foram divulgados pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), nesta quinta-feira (5). Em março as exportações catarinenses somaram US$ 770 milhões, ampliação de 0,17% frente ao mesmo mês de 2017. No comparativo com fevereiro, houve crescimento, com variação de 29,7%. Clique aqui e veja os dados completos ou acesse www.portalsetorialfiesc.com.br

No acumulado do ano, os principais bens exportados compreendem os intermediários (45%) e os bens de consumo (36,7%), enquanto os bens de capital correspondem a 16,2% do total. Os destaques da participação na pauta exportadora do ano são carne de aves, que ocupa a primeira posição (com recuo de 4,9% em relação a 2017), seguido pela carne suína (com decréscimo de 10,8%) e partes de motor (com avanço de 18%).

No ano, as importações do Estado cresceram 29,9% em relação ao mesmo período do ano anterior, alcançando quase US$ 3,7 bilhões, resultado aproximado daquele observado em 2015. Ainda assim, esse desempenho faz com que Santa Catarina responda por 9,1% das compras vindas do exterior.

Considerando a participação da pauta de importações, 62,4% compreendem produtos intermediários e 25,8% são bens de consumo. Além disso, 39,3% são de média-alta tecnologia, enquanto que apenas 8% são de alta tecnologia. Os destaques ficam para cobre (crescimento de 14,5% em relação a março de 2017), originados principalmente do Chile, polímeros de etileno (com recuo de 4,5%), vindos da Argentina e fios de filamentos sintéticos (com ampliação de 47,9%), especialmente indianos.

 

 

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco