Dificuldades no embarque de carnes afetam a balança comercial de SC, mostram dados divulgados pela FIESC

Florianópolis, 9.7.2018 – Influenciada principalmente pela queda nas vendas de carne, as exportações catarinenses de janeiro a junho caíram 4,2% em relação ao mesmo período em 2017 e somaram US$ 4,01 bilhões. Em comparação com os últimos seis anos, o desempenho do Estado está no patamar de 2016, ainda como reflexo da greve dos caminhoneiros, mostram dados do Ministério do Desenvolvimento (MDIC), divulgados pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC). No acumulado do ano, Santa Catarina importou US$ 7,47 bilhões. O resultado é 28,8% maior que o registrado no mesmo período no ano passado. Clique aqui e veja os dados completos.  

Considerando a participação na pauta de embarques, no acumulado do ano até junho os destaques negativos ficaram para carnes de aves (com recuo de -12%), soja (que caiu -21,2%) e carne suína (com retração de -19,7%). Os demais itens com maior volume na pauta são representados por partes de motor e motores elétricos, que mostraram variações positivas de 15,1% e 8,4% respectivamente. Os cinco produtos mencionados respondem por 41,8% da pauta catarinense.

Com relação aos principais parceiros comerciais, no acumulado do ano os Estados Unidos se apresentam como o principal destino dos produtos catarinenses, com 17% do total exportado. Na sequência dos principais destinos aparecem China (14,9% da pauta e crescimento de 8%), Argentina (6,9% do total e crescimento de 9,9%), México (4,4% e queda de -10,3%) e para o Japão (3,8% e queda de -20,4%). Estes cinco países representam 47% da pauta do Estado.

Em junho, as exportações do Estado somaram US$ 692,19 milhões. O resultado representa uma redução de -6,3% frente ao mesmo mês de 2017. No comparativo com o mês anterior, houve recuo de -13,8%.

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco